Confinamento afeta a economia portuguesa, mas a vacina pode levar a “melhores desenvolvimentos mais tarde no ano”, diz Dombrovskis ao JE

Em entrevista ao Jornal Económico, o vice-presidente da Comissão Europeia diz que a implementação da vacinação que está a decorrer nos Estados-membros “dá esperanças” de “uma perspetiva económica melhor”.

Créditos: Comissão Europeia

O confinamento está a afetar a economia portuguesa, mas a vacina para a Covid-19 poderá levar a melhores desenvolvimentos mais tarde no ano. A convicção é de Valdis Dombrovskis, vice-presidente da Comissão Europeia, que em entrevista ao Jornal Económico diz que a perspetiva económica está diretamente ligada à rapidez da contenção da pandemia.

“O fato de haver atualmente um confinamento está claramente afetar a economia, mas com a implementação da vacinação pode-se esperar melhores desenvolvimentos mais tarde no ano”, disse o vice-presidente executivo da Comissão Europeia, responsável pela pasta Uma Economia ao Serviço das Pessoas, à margem da visita a Lisboa com a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, e outros sete membros do Colégio de Comissários.

O vice-presidente do executivo comunitário alerta que “as previsões económicas agora são muito difíceis. Basicamente são uma previsão epidemiológica, porque o que está a afetar a economia de todos os Estados-membros europeus é a situação epidemiológica”, salientando que “desse ponto de vista, de facto, é um tipo de crise diferente, não é um desequilíbrio económico, ou desequilíbrio proveniente de um choque externo da epidemia e das restrições que os Estados-membros são forçados a lidar com a pandemia”.

“Portanto, a perspectiva económica está diretamente ligada à rapidez com que a pandemia estará sob controlo e diria que a implementação da vacinação que está a decorrer atualmente em todos os Estados-membros dá esperanças de também uma perspetiva económica melhor”, realça.

Valdis Dombrovskis remeteu possíveis atualizações das projeções para a economia portuguesa para as projeções da Comissão Europeia, que serão publicadas no próximo mês. “A nossa previsão económica de outono para Portugal é de um crescimento de 5,4% este ano”, vincou, recordando as projeções de novembro.

Nas projeções de outono, a Comissão Europeia via a economia portuguesa a contrair 9,3% em 2020, antes de recuperar para crescer 5,4% em 2021 e 3,5% em 2021 e alertava que “os riscos estão ainda negativos devido à elevada dependência de Portugal no turismo externo, no qual a incerteza permanece significativa”.

Ler mais

Relacionadas

Dombrovskis: “Portugal é bom exemplo de um país que aproveitou os bons momentos da economia para baixar o nível da dívida”

O vice-presidente da Comissão Europeia elogia, em entrevista ao Jornal Económico, a trajetória de redução do rácio da dívida pública face ao PIB feita por Portugal nos últimos anos e sublinha a importância dos planos de recuperação. “É difícil para os países saírem desta crise sozinhos”, vinca.

Dombrovskis: “É viável que Portugal possa ser dos primeiros países a ter o plano de recuperação aprovado”

Em entrevista ao Jornal Económico, o vice-presidente da Comissão Europeia diz que o draft do Plano de Recuperação português “vai na direcção certa”, realçando que o executivo comunitário continua a trabalhar com o Governo na componente das reformas do plano.
Recomendadas

Covid-19: PCP quer apoios a 100% para pais “imediatamante e com efeitos retroativos”

Intervindo numa sessão pública, em Lisboa, Jerónimo de Sousa lamentou que “PS, PSD e CDS-PP” tenham rejeitado na Assembleia da República a proposta do PCP que previa “o pagamento do salário a 100% a quem está em assistência a filhos até aos 16 anos, enquanto as escolas se mantiverem encerradas”, devido à pandemia de Covid-19.

PremiumEconomistas alertam para risco de crise financeira

O volume moratórias de crédito quando comparado com o resto da Europa deixa antecipar fortes impactos na banca no pós-Covid.

PremiumUnião Europeia não pode continuar “em velocidade lenta”

O painel do Observatório “A Recuperação Económica depois da Covid-19” sobre ‘O papel da Europa e os desafios para o futuro no contexto global’ foi unânime em considerar que a UE deu, no contexto de combate à pandemia, mais uma prova da sua endémica lentidão.
Comentários