Conselho de Deontologia critica sociedade de advogados que defende ‘pro bono’ multados por não utilizar máscara

Em causa está o facto de a Barroso Advogados, um escritório da capital, ter publicado nas redes sociais que estava a “tratar”, com honorários a custo zero, de contraordenações perante a obrigatoriedade de utilização de máscara.

Pedro Nunes/Reuters

O Conselho de Deontologia de Lisboa da Ordem dos Advogados (OA) criticou esta sexta-feira uma sociedade de advogados que informou que estava a defender, gratuitamente (pro bono), pessoas que fossem multadas por não utilizar máscara na rua, avança o jornal online “Observador”.

“O facto de ser pro bono não é violação de nada. E não se trata de um incitamento ao crime porque o não uso de máscara não está criminalizado. O que está em causa é um oferecimento de serviços, e nós, advogados, não podemos solicitar clientela, não podemos oferecer os serviços que não nos são solicitados”, esclarece a presidente do Conselho de Deontologia de Lisboa da OA à mesma publicação.

Em causa está o facto de a Barroso Advogados, um escritório da capital, ter publicado nas redes sociais que estava a “tratar”, com honorários a custo zero, de contraordenações perante a obrigatoriedade de utilização de máscara que chegassem entre os dias 1 a 15 de novembro.

Alexandra Bordalo explica: “Imagine que me procura com um problema. Enquanto fala, percebo que o mesmo problema afeta 40 colegas seus de trabalho. Apesar disso, não posso pegar no telefone, contactá-los e oferecer-lhes os meus serviços”.

Recomendadas

PremiumTransição energética é uma “oportunidade” para Portugal

Bruno Martinho, da consultora Accenture, aborda os principais desafios e oportunidades da transição energética em Portugal. “Temos os ingredientes todos para capturar esta mais valia para Portugal”.
Stefan Wermuth/Reuters

Venda da Brisa põe valor das fusões e aquisições em Portugal a liderar em 2020, diz Mergermarket

O valor anual das operações de M&A em Portugal este ano é o mais elevado desde 2014 e representa uma subida de 8,3% em relação ao total transacionado ao longo de todo o ano de 2019, ao ter atingido cerca de 7.000 milhões de euros. Já valor do investimento estrangeiro subiu para 6.900 milhões e abrange 90% de todo o valor. Os dados são do relatório “Portugal Trend Report 2020”, das fusões e aquisições de 2020 em Portugal
Virgílio Macedo

Virgílio Macedo é o novo bastonário da Ordem dos Revisores Oficiais de Contas

Ex-deputado do PSD derrotou o incumbente José Rodrigues Jesus, com 52% dos votos. Prometeu “defender a profissão, promover a sua credibilização junto de entidades privadas e públicas, sensibilizar legisladores e reguladores, apoiar os membros e pautar pela qualidade dos serviços”.
Comentários