Conselho de Deontologia da Ordem está a analisar recurso polémico de Pedro Proença

Órgão disciplinar da Ordem dos Advogados está a analisar o caso que envolve o advogado Pedro Proença, que pediu o afastamento de uma juíza num processo de violação, por ser “mulher e certamente mãe”.

O Conselho de Deontologia de Lisboa da Ordem dos Advogados está a analisar o caso que envolve Pedro Proença, o advogado que tentou afastar uma juíza de um caso de violação por ser “mulher e certamente mãe”, apurou o Jornal Económico.

Este órgão disciplinar da Ordem dos Advogados tem como função exercer o poder disciplinar em primeira instância, instruindo e julgando os processos de averiguação de idoneidade para o exercício da profissão pelos advogados e advogados estagiários. Segundo os seus estatutos, o conselho tem ainda como função “velar pelo cumprimento das normas de deontologia profissional, podendo, independentemente de queixa e por sua própria iniciativa, quando o julgarem justificado, conduzir inquéritos e convocar para declarações os referidos advogados, com o fim de aquilatar do cumprimento das referidas normas e promover a ação disciplinar, se for o caso”.

Pedro Proença está no centro de uma tempestade mediática desde que foi noticiado que pediu o afastamento da juíza desembargadora Adelina Barradas de Oliveira, num recurso da pena aplicada a um homem condenado por violar a própria filha. No requerimento apresentado, Pedro Proença pede que a juíza seja afastada e “substituída por um juiz desembargador homem”.

Para Pedro Proença, advogado e autor do recurso, não há qualquer tipo de discriminação e admite ter levantado a questão devido à “excessiva valoração do incesto”. O pai, um engenheiro naval de 55 anos, alega que foi seduzido e que o sexo foi consensual e lembra que o incesto não é crime entre maiores de idade. Na versão da jovem, foram jantar e beberam demasiado. Ela ter-se-á sentido mal e resguardado no quarto, altura em que o pai a violou.

O advogado era até à data comentador da TVI, mas a estação de Queluz divulgou esta sexta-feira uma nota onde dá conta que o afastou da antena, por ter assumido uma posição que vai contra os valores e princípios defendidos pelo canal.

Até ao momento, não foi possível obter uma reação do Conselho de Deontologia de Lisboa da Ordem dos Advogados.

Ler mais
Recomendadas

PremiumNegócio da banca passa cada vez mais por novos serviços

O responsável pela área de banca e setor financeiro da VdA diz que os bancos estão a deixar de ser bancos de balanço, que concedem crédito e recebem depósitos, para passarem a ser “bancos de serviço”. O que, defende, cria um novo paradigma.

Saiba o que pode fazer no caso de não ter meios para contratar os serviços de um advogado

O requerimento de apoio judiciário deve ser apresentado em qualquer serviço de atendimento ao público da Segurança Social, mediante o preenchimento de um formulário próprio.

Justiça ‘reality show’

Do que aqui se trata não é da questão da violação do segredo de justiça: essa existe, todos sabemos. Aquilo a que me refiro é a processos que fruto da inércia investigatória das autoridades, acidental ou propositada, podem ser licitamente acedidos e divulgados.
Comentários