Consórcio da Conduril e da Teixeira Duarte ganha contrato de 53 milhões para a modernização do troço da linha ferroviária da Beira Alta

O contrato para a modernização do troço entre Celorico da Beira e a Guarda, numa extensão de 46 quilómetros, será agora remetido para o Tribunal de Contas para a obtenção do necessário visto prévio.

A IP – Infraestruturas de Portugal anunciou hoje, dia 18 de novembro, a assinatura do contrato para a empreitada de modernização do troço da linha ferroviária da Beira Alta entre Celorico da Beira e a Guarda ao consórcio formado pela Conduril, Teixeira Duarte e Somafel (Grupo Teixeira Duarte), por um montante de 53,1 milhões de euros.

“A Infraestruturas de Portugal informa que no passado dia 13 de novembro foi assinado o contrato da empreitada de modernização do troço da Linha da Beira Alta, entre Celorico da Beira e Guarda, com o consórcio Conduril – Engenharia, S.A./Somafel – Engenharia e Obras Ferroviárias, S.A. /Teixeira Duarte – Engenharia e Construções, S.A., pelo valor de 53.112.000,00 euros”, revela um  comunicado da gestora pública da rede ferroviária nacional.

Segundo a nota, “esta intervenção é desenvolvida no âmbito do programa ‘Ferrovia 2020’ para a expansão e modernização da Rede Ferroviária Nacional, comparticipado pela União Europeia”.

“O contrato será agora remetido para o Tribunal de Contas para a obtenção do necessário visto prévio”, recorda a IP.

De acordo com este documento, “a empreitada a executar consiste na renovação integral da superestrutura de via, num um troço com cerca de 46 quilómetros, prevendo ainda o alteamento, alargamento e prolongamento das plataformas nas estações de Celorico da Beira, Pinhel, Vila Franca das Naves e Guarda, por forma a promover a melhoria das condições de mobilidade dos utilizadores no acesso ao transporte ferroviário”.

“Será igualmente realizada a alteração do ‘layout’ (configuração das linhas) nestas estações, de forma a permitir a circulação de comboios de 750 metros de comprimento, otimizando as condições de exploração através, não só, do aumento da capacidade para os comboios de mercadorias, dos atuais com 500 metros de comprimentos para 750 metros, mas também um aumento do número de circulações”, assegura o referido comunicado.

A IP acrescenta que, “no âmbito da empreitada serão também realizados trabalhos de supressão das passagens de nível de Celorico Gare e de Baraçal”.

“Como alternativas de atravessamento, será realizada a construção dos respetivos desnivelamentos e restabelecimentos, que garantem melhores condições de segurança para os utilizadores”, avisa a empresa pública responsável pela rede ferroviária nacional.

A ‘Empreitada do Troço Celorico da Beira – Guarda’ integra a Ação 2015-PT-TM-0395-M – Ligação Ferroviária Aveiro-Vilar Formoso no Corredor Atlântico: Linha da Beira Alta (Pampilhosa-Vilar Formoso), aprovada ao abrigo do programa CEF (Mecanismo Interligar a Europa) com uma taxa de cofinanciamento de 85%”, conclui o comunicado da IP.

Ler mais
Recomendadas

TAP propõe acordo com tripulantes para vigorar até final de 2024

O acordo, segundo o qual “as medidas acordadas referentes a retribuições e outras prestações pecuniárias, retributivas ou não, produzem efeitos a 1 de janeiro de 2021”, estabelece a suspensão “das tabelas salariais e remuneratórias em vigor à data da entrada em vigor deste acordo, incluindo as constantes de normativo específico de cada função e/ou de acordos individuais”.

Turismo do Centro apresenta novas iniciativas para as Rotas das Invasões Francesas

O destaque vai para a apresentação das rotas turísticas relativas à Terceira Invasão Francesa, que teve início em julho de 1810 e terminou em abril de 1811. No território nacional, a invasão iniciou-se em Almeida e continuou para o Bussaco, onde teve lugar uma importante batalha, tendo terminado nas Linhas de Torres Vedras, de onde os franceses retiraram em perda.

Pilotos do porto de Aveiro resgatam navio da ETE

Depois de ativados os procedimentos de segurança, os serviços técnicos de pilotagem do porto de Aveiro em colaboração com os rebocadores e em articulação com a Capitania, “a operação do salvamento do navio e tripulação foi realizada com sucesso, encontrando-se o navio atracado em segurança”.
Comentários