Consórcio europeu procura programadores e startups de blockchain

O BlockStart junta a sociedade Bright Pixel, a plataforma F6S e a consultora CIVITTA e tem cerca de 800 mil euros para apoiar 60 empreendedores e 60 PME.

O consórcio europeu BlockStart, liderado pela sociedade portuguesa Bright Pixel, está a receber candidaturas de projetos que desenvolvam soluções baseadas em tecnologia blockchain aplicada ao retalho, fintech e Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC).

Os programadores e empreendedores interessados podem inscrever-se até ao próximo dia 10 de fevereiro (para a primeira chamada). Os 20 selecionados farão uma apresentação durante o evento o Pixels Camp (entre os dias 26 a 28 de março) e receberão até 20 mil euros em financiamento, equity free, mentoria e a possibilidade de fazer pilotos comerciais.

Depois, o BlockStart – que junta a sociedade Bright Pixel, a plataforma F6S e a consultora CIVITTA – fará mais calls (ao longo dos próximos dois anos), com o intuito de encaminhar esta tecnologia às pequenas e médias empresas (PME) europeias e apoiar os inovadores na área a verem o seu produto validado.

O BlockStart é financiado pela Comissão Europeia e tem cerca de 800 mil euros para apoiar 60 empreendedores e 60 PME, além de promover – junto de Bruxelas – as boas práticas de utilização desta tecnologia através de workshops, conferências e relatórios e troca de experiências entre associações, clusters, incubadoras, entre outros.

“Este projeto europeu é bastante ambicioso, pelas várias frentes que pretende abordar. Arrancamos agora com uma call para encontrar as soluções mais inovadoras para depois começarmos à procura das PME que as irão implementar e validar. Acreditamos que este modelo de validação do mercado irá permitir a muitos projetos crescerem e melhorarem mais rapidamente, promovendo, por consequência, uma mais rápida adoção da tecnologia blockchain pelas empresas”, afirma Celso Martinho, cofundador e CEO da Bright Pixel.

Durante a Web Summit 2019, a startup italiana FlowPay, que desenvolve um sistema de faturação inteligente para ajudar as empresas na gestão automática do seu fluxo de caixa e nos seus pagamentos, foi pré-selecionada para esta primeira chamada.

Ler mais
Recomendadas

Pandemia quebrou dois mitos: mercado está digitalizado e há investimento sempre disponível, dizem empresários e investidores

Estuda da consultora Beta-i concluiu que, para mais de um terço dos empreendedores, a principal inquietação é a criação de novos serviços e produtos digitais relevantes.

Startups portuguesas já podem inscrever-se no programa de empreendedorismo da Abanca

A iniciativa procura promover o desenvolvimento de novos projectos ligados a fintech, insurtech, regtech e cibersegurança.

Online Pitch Day dá oportunidade a seis startups para dinamizar ecossistema nacional

Para conseguirem participar, as startups têm de cumprir um de dois requisitos obrigatórios: a equipa fundadora ser portuguesa ou a sede ser em território nacional.
Comentários