Consumidores pouparam mais de um milhão de euros com queixas à Deco

A queda no número de queixas registou-se em quase todos os setores, à exceção dos transportes, em que se verificou quase uma duplicação das reclamações. Em 2017, foram quase três mil de queixas neste setor.

Os consumidores que fizeram queixa à Deco pouparam mais de um milhão de euros com a ação da associação de edefesa do consumidor, que garante uma taxa de sucesso de 80% nas reclamações feitas, noticia o jornal “Público”.

A Deco recebeu 405 mil queixas ou pedidos de informação no ano passado, menos 55 mil do que em 2016.

A queda no número de queixas registou-se em quase todos os setores, à exceção dos transportes, em que se verificou quase uma duplicação das reclamações. Em 2017, foram quase três mil os portugueses que apresentaram queixa contra o serviço prestado pelos transportes públicos coletivos. Os motivos variam entre “os atrasos, cancelamentos, supressão e alteração dos percursos e horários dos transportes em todo o país”, refere a associação.

Para este aumento contribuiu o cancelamento de voos da companhia aérea Ryanair, em que a Deco ajudou os consumidores a receber 35 mil euros como indemnização. Ainda assim, as telecomunicações continuam a liderar as queixas, o que já se verifica desde há 11 anos consecutivos. Em 2017, foram apresentadas 42.339 queixas relativas ao “aumento ilegal dos preços e à oferta de serviços não solicitados”.

Recomendadas

Supremo Tribunal de Justiça confirma prisão efetiva de cinco anos e oito meses de João Rendeiro

Embora o antigo presidente do Banco Privado Português (BPP) tenha sido condenado pelo Tribunal da Relação a uma pena efetiva de cinco anos e oito meses de cadeia, tal resultou do cúmulo jurídico das penas inferiores aplicadas aos vários crimes de falsidade informática e de falsificação de documentos dos quais foi considerado culpado.

Governo não altera medidas do estado de emergência. Plano de desconfinamento apresentado a 11 de março

António Costa referiu que as medidas adotadas têm continuado a produzir os efeitos desejados no controlo da pandemia. Plano de desconfinamento será feito de forma gradual, tal como aconteceu em 2020.

António Guterres é recandidato à liderança da ONU. Com que apoios pode contar?

António Guterres apresentou a recandidatura a um segundo mandato como secretário-geral da ONU a janeiro de 2021. O Governo elogiou o desempenho do antigo governante português nas Nações Unidas, durante um período especialmente “doloroso” e “desafiante”, tendo formalizado o apoio à sua recandidatura.
Comentários