Continente alarga rede de produtores nacionais para assegurar abastecimento

As vendas do Continente de produtos nacionais têm aumentado progressivamente, sendo que no último ano foram adquiridas mais de 92 mil toneladas, que correspondem a frutas e legumes.

Continente

A rede de grandes superfícies Continente está a alargar a sua rede de produtores nacionais para assegurar o abastecimento de produtos essenciais aos consumidores.

“Ajudar os produtores portugueses no escoamento de produtos essenciais, nesta fase de emergência nacional, é o objetivo do Continente que pretende alargar a sua rede através da integração de novos membros no Clube de Produtores Continente (CPC)”, destaca um comunicado do grupo nacional de distribuição.

Segundo este documento, “as vendas do Continente de produtos nacionais têm aumentado progressivamente, sendo que no último ano foram adquiridas mais de 92 mil toneladas, que correspondem a frutas e legumes, dos quais se destacam: 16 mil toneladas de citrinos do Algarve, nove mil toneladas de maçãs de Alcobaça e da Beira Alta; cinco mil toneladas de pera Rocha do Oeste; 13 mil toneladas de legumes para sopa; e 10 mil toneladas de batatas, alhos e cebolas”.

“Mais de 15 mil toneladas de queijos produzidos em Portugal, correspondentes a cerca de 150 milhões de litros de leite recolhidos em todo o País e quatro mil toneladas de trigo do Alentejo, cuja farinha é utilizada diariamente para produzir pão fresco nas lojas Continente”, foram também comercializadas por esta insígnia de distribuição da Sonae ao abrigo do CPC.

“Neste período de emergência em que se exige uma atuação próxima dos nossos produtores, pretendemos promover a integração de novos membros, garantindo todos os rigorosos procedimentos de segurança e de qualidade dos nossos produtos”, afirma Ondina Afonso, presidente do CPC – Clube de Produtores Continente.

De acordo com este grupo de retalho, “o objetivo do CPC é disponibilizar produtos nacionais de excelência aos clientes, resultantes de um trabalho de parceira com os produtores, com suporte em conhecimento técnico-científico e que permite alinhar a oferta às tendências de consumo”, acrescentando que “é também aposta do Clube o apoio à produção local, a produtores de pequena escala, conseguindo abastecer algumas lojas da cadeia de retalho Continente, traduzindo-se numa oferta de ‘Produtos da Região'”.

O referido comunicado do Continente relembra que “a distribuição alimentar foi identificada como um serviço crítico pelo Governo e a Sonae MC está consciente da sua responsabilidade para com o país, seguindo assim as orientações da Direção-Geral de Saúde e do Ministério da Economia”.

“Os colaboradores das lojas Continente e Entrepostos prosseguem empenhados a trabalhar, como até aqui, comprometidos em manter a sua atividade ao serviço dos portugueses”, conclui o comunicado em questão.

O CPC é uma estrutura de apoio à produção agropecuária portuguesa, criado em 1998, com o intuito de aproximar a Sonae MC dos produtores nacionais, distribuídos de norte a sul do país, Açores e Madeira.

Conta atualmente com 200 membros, entre organizações de produtores, agricultores individuais e empresas familiares com produção de: frutas e legumes, charcutaria (queijos e enchidos), carne, padaria e pastelaria tradicional, peixe, vinhos, azeite, ovos, mel e ‘take-away’.

 

 

Ler mais
Recomendadas

Armazéns do El Corte Inglés reabrem a partir de sexta-feira

“Este dia vai ser o mais emocionante desde a nossa inauguração em Portugal”, admite o diretor nacional do grupo espanhol.

CTT anunciam subida de preços de 1,41% a partir de 1 de junho

Medida vem enquadrada na política tarifária da empresa para o ano de 2020.

Grupo Jerónimo Martins garante zero trabalhadores infetados com Covid-19 na Azambuja

Grupo nacional de distribuição assegura que os testes aos mais de 840 colaboradores que emprega no centro de distribuição da Azambuja deram todos resultados negativos.
Comentários