Coronavírus: Primeiros dois casos confirmados na Europa

Foram confirmados os primeiros dois casos de infetados pelo coronavírus em solo europeu, confirmou a ministra francesa da Saúde.

França

A ministra da Solidariedade e Saúde francesa, Agnes Buzyn, confirmou oficialmente que foram detetados dois casos de pacientes infetados com o coronavírus em França. Desta forma, estes são os primeiros casos confirmados em solo europeu.

“Há dois casos [confirmados]”, vincou Agnes Buzyn em conferência de imprensa, citada pela Associated Press, sublinhando que é possível que haja “outros casos”.

De acordo com a governante, as duas pessoas infetadas com o coronavírus estiveram na China.

O novo vírus, que causa pneumonias, foi detetado na China no final de 2019 e já provocou a morte a pelo menos 25 pessoas.

No território continental chinês há registo de mais de 800 pessoas infetadas e cerca de 1.000 casos suspeitos, tendo sido detetados outros casos em Macau, Tailândia, Taiwan, Hong Kong, Coreia do Sul, Japão e Estados Unidos.

As autoridades chinesas consideram que o país está no ponto “mais crítico” no que toca à prevenção e controlo do vírus e colocaram em quarentena, impedindo entradas e saídas, três cidades onde vivem mais de 18 milhões de pessoas — Wuhan, a as vizinhas Huanggang e Ezhou.

Num esforço sem precedentes para tentar travar a propagação, cancelaram também as comemorações do Ano Novo chinês em várias localidades, incluindo a capital, Pequim.

Em Portugal, e Direção Geral de Saúde anunciou a ativação dos dispositivos de saúde pública de prevenção, enquanto o Centro Europeu de Controlo de Doenças elevou para ‘moderado’ o risco de contágio na União Europeia (UE), continuando a monitorizar a situação e a realizar avaliações rápidas de risco.

O Comité de Emergência da Organização Mundial de Saúde (OMS), reunido terça e quarta-feira, em Genebra, na Suíça, optou por não declarar emergência de saúde pública internacional, receando que seja demasiado cedo, embora reconheça que há esse risco.

Os primeiros casos do vírus “2019 – nCoV” apareceram em meados de dezembro na cidade chinesa de Wuhan, capital e maior cidade da província de Hubei, no centro da China, quando começaram a chegar aos hospitais pessoas com uma pneumonia viral.

Os sintomas destes coronavírus são mais intensos do que uma gripe e incluem febre, dor, mal-estar geral e dificuldades respiratórias, incluindo falta de ar.

Ler mais
Relacionadas

Coronavírus: stock de máscaras e desinfetantes esgotados em Hong Kong

No dispensário de Cheung Tai, no distrito financeiro da região, o stock de máscaras e desinfestantes acabou há dois dias e as luvas médicas estão a vender rapidamente. Autoridades alertam que só se poderá proceder a um ‘restock’ depois das celebrações do Ano Novo, neste fim de semana.

Dois possíveis casos de coronavírus em Espanha deram resultado negativo

Diretor do Centro de Coordenação e Emergências de Saúde, Fernando Simón, informou que existem atualmente duas pessoas em estudo por uma possível infecção do coronavírus, uma vez que ambas chegaram recentemente de Wuhan na China.

Segundo caso de coronavírus detetado nos Estados Unidos

A Organização Mundial da Saúde decidiu que é ainda prematuro avançar com a declaração de uma situação de emergência de saúde pública internacional por causa do novo coronavírus identificado na China, que já causou 26 mortes. Mais de 60 pessoas estão a ser monitorizadas.
Recomendadas

Covid-19: MNE está a acompanhar situação de tripulante português que estará infetado

Segundo adiantou a mulher de Adriano Maranhão, Emmanuelle, o português “foi examinado pela primeira vez há dois dias”, após “terem desembarcado os passageiros”.

China diz que surto de covid-19 está “sob controlo”

O vice-diretor da Comissão de Saúde da China, Zeng Yixin, considerou que a “situação melhorou” a nível nacional, mas sublinhou que na província de Hubei, centro do surto, o número de mortes e novos casos diários ainda está “num nível alto” a deve ser levado “a sério”.
eutanásia_parlamento_aprovada

Assembleia da República aprova despenalização da eutanásia

O Parlamento deu ‘luz verde’ aos cinco projetos de lei apresentados pelo PS, BE, PAN, PEV e Iniciativa Liberal, que descem agora à comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos Liberdades e Garantias, para que os partidos cheguem a um “texto comum”. A votação foi feita esta quinta-feira por voto individual. Dos 230 deputados, estiveram ausentes oito deputados: seis do PSD e dois do PS.
Comentários