Coronavírus: Singapura reserva 4 mil milhões de dólares para apoiar familias e empresas afetadas

O ministro das Finanças do país também anunciou a criação de um fundo de 800 milhões de dólares para apoiar a luta contra o vírus, com a maior parte dos fundos destinados ao Ministério da saúde.

DR

O governo de Singapura anunciou, esta terça-feira, um fundo de 4,02 mil milhões de dólares (3,7 mil milhões de euros) para ajudar empresas e famílias que enfrentem dificuldades face ao coronavírus. O apoio monetário estará disponível a partir do próximo ano, segundo noticia o CNBC, esta manhã.

O país no sudoeste asiático soma atualmente um dos maiores números de casos confirmados pelo coronavírus (agora conhecido como Covid-19) fora da China. Até ao meio dia desta segunda-feira, o balanço do Ministério da Saúde da Singapura registava 77 casos, 24 dos quais deram negativo após as análises.

“O surto vai certamente afetar a nossa economia”, disse Heng Swee Keat, vice-primeiro-ministro e ministro das Finanças da Singapura, no discurso que descrevia o orçamento do país.

As medidas económicas que Heng anunciou incluem esquemas para ajudar as empresas a reter trabalhadores, gerir as suas contas salariais e descontos de impostos corporativos. Haverá medidas específicas para ajudar os cinco setores mais vulneráveis ​​ao surto de vírus: os serviços de turismo, aviação, retalho, alimentação e transportes públicos.

O ministro também anunciou a criação de um fundo de 800 milhões de dólares (738 milhões de euros) para apoiar a luta contra o vírus, com a maior parte dos fundos destinados ao Ministério da Saúde.

Além disso, o ministro das Finanças referiu que um aumento planeado no imposto sobre bens e serviços será adiado, face aos desafios que a economia enfrenta. O governo da Singapura queria aumentar as taxas dos bens e serviços dos atuais 7% para 9% entre 2021 e 2025.

Essas medidas contribuirão para um défice orçamentário esperado de 10,9 mil milhões de dólares da Singapura, cerca de 2,1% do PIB, no próximo exercício financeiro de abril de 2020 a março de 2021, disse Heng.

Ler mais
Relacionadas

Coronavírus: Nissan, Alibaba, Pernod Ricard e Nestlé são as multinacionais mais afetadas

O grupo chinês Alibaba, uma das maiores plataformas globais de comércio, já se manifestou e alertou que as receitas entre janeiro e março deste ano podem cair após anos de crescimento contínuo.

Covid-19: Adiado salão do automóvel da China

O salão do automóvel da China, um dos maiores eventos internacionais do setor, foi adiado devido ao surto do novo coronavírus (Covid-19), anunciou esta terça-feira a organização.

Covid-19: Sobe para 1.868 número de mortos na China continental, mais 1.886 infetados

O número de mortos devido ao novo coronavírus (Covid-19) na China continental subiu esta terça-feira para 1.868, ao mesmo tempo que foram registados 1.886 novos casos de infeção, num total de 72.436 infetados, foi anunciado.
Recomendadas

Angola disponibiliza 800 milhões de euros para apoiar PME

O governo angolano pretende também “desanuviar a pressão” sobre a tesouraria das empresas alargando os prazos limite para liquidação de obrigações tributárias.

Espanha regista 683 óbitos nas últimas 24 horas. Já são 15 mil desde o início da pandemia

De acordo com esta entidade governamental, Espanha já superou os 15 mil óbitos por Covid-19 (15.238 mortes no total) e tem neste momento 152.446 contagiados pela pandemia.

Economia britânica recua 0,1% em fevereiro

A contração do PIB do Reino Unido, em parte devido ao setor da construção, surpreendeu os analistas britânicos, que esperavam inclusivamente um crescimento no segundo mês do ano.
Comentários