Costa diz que renovação de carruagens tem “95% de incorporação nacional” (com áudio)

Grande maioria dos materiais utilizados na renovação foi produzida em Portugal. Perto de metade das empresas são ainda portuguesas.

Lusa

O primeiro-ministro, António Costa, adiantou esta sexta-feira que a renovação das carruagens compradas a Espanha, que está a ser feita nas oficinas de Guifões, em Matosinhos, tem “95% de incorporação nacional”.

“Em cada uma destas carruagens há 95% de incorporação nacional, 95% do que transformou aquilo que os espanhóis consideraram sucata nestas novas carruagens foi produzido em Portugal”, disse o governante durante a apresentação das carruagens ARCO no Parque Oficinal de Guifões, em Matosinhos, no distrito do Porto.

No conjunto, acrescentou, houve cerca de 50% de empresas portuguesas a produzirem componentes para a modernização destas carruagens.

A Comboios de Portugal (CP), que reabriu a oficina de Guifões em janeiro de 2020, “tornou-se verdadeira locomotiva de um importante setor económico do nosso país”, referiu o líder do executivo.

Encerradas em 2011, as oficinas de Guifões reabriram em janeiro de 2020 com o propósito de garantir a manutenção do material circulante que está ao serviço da CP, recuperação do que está parado e modernização de composições.

Desde então, revelou Costa, foram já intervencionadas 67 automotoras, locomotivas e carruagens.

A requalificação das carruagens ARCO vai permitir preencher o período de tempo que Portugal vai ter de aguardar pela entrega da “maior encomenda de material circulante que alguma vez a CP fez”.

“Isto significa, ao contrário do que muitos dizem, que não estamos a governar para amanhã porque, de facto, a primeira composição só chega em 2026, ou seja, quase no final da próxima legislatura”, afirmou.

Acrescentando que “quem governa não se pode limitar a governar para o dia de hoje, nem para o dia de amanhã, tem de governar tendo em conta e olhando para o futuro do país”.

O Governo aprovou um concurso para a aquisição de 117 novas automotoras elétricas pela CP, num valor de 819 milhões de euros, a “maior compra da história” da operadora, disse o ministro das Infraestruturas e Habitação, Pedro Nuno Santos, a 15 de julho.

O concurso foi aprovado em Conselho de Ministros, sendo que o Governo espera que o primeiro comboio chegue em 2026 e que a totalidade das composições esteja em circulação em 2029.

Recomendadas

Endividamento das empresas privadas em máximos de 2014 (com áudio)

Desde março de 2014 que o endividamento das empresas privadas não atingia um valor tão elevado. No final de julho, as empresas do comércio e das indústrias eram as que mais contribuíam para este endividamento.

Da bazuca como trunfo aos tiros de bazuca na Galp. Ouça o podcast “Maquiavel para Principiantes” de Rui Calafate

“Maquiavel para Principiantes”, o podcast semanal do JE da autoria do especialista em comunicação e cronista do “Jornal Económico”, Rui Calafate, pode ser ouvido em plataformas multimédia como Apple Podcasts e Spotify.

“Maquiavel para Principiantes”. “Em vez do cartão amarelo ao Governo, podemos ter cartão vermelho ao líder da oposição”

“Mais importante do que bazucas, metralhadoras, helicópteros ou outro tipo de arsenal, há mais pessoas a acreditar numa vitória do PS do que num triunfo do PSD. Nestas eleições faz-se sentir muitas vezes o cartão amarelo ao Governo mas o que parece é que se está a preparar um cartão vermelho ao líder da oposição”, realçou Rui Calafate na edição desta semana do podcast do JE.
Comentários