Costa mantém confiança em Eduardo Cabrita: “Tenho um excelente ministro da Administração Interna”

No Parlamento, o primeiro-ministro referiu que “vive bem” com a atuação de Eduardo Cabrita enquanto ministro da Administração Interna e garantiu que mantém a sua confiança. Sobre as declarações do secretário de Estado da Energia, António Costa disse que João Galamba usou “expressão que não é adequada” e recomendou “nervos de aço” aos membros do Governo.

Lusa

O primeiro-ministro, António Costa, garantiu esta quarta-feira que mantém a confiança no ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, apesar dos pedidos de demissão à direita na sequência da situação de Odemira. O líder do Executivo socialista referiu que Eduardo Cabrita é um “excelente ministro da Administração Interna” e assegurou que “vive bem” com a atuação do ministro.

“Quem me dera que o meu problema fosse o senhor ministro da Administração Interna. Significaria que não tenho nenhum problema, porque tenho um excelente ministro da Administração Interna e vivo bem com o ministro da Administração Interna”, disse António Costa, no debate sobre política geral no Parlamento, em resposta ao deputado e líder do Chega, André Ventura.

Segundo o Chega, que veio juntamente com o CDS-PP e o Iniciativa Liberal pedir a demissão de Eduardo Cabrita, o ministro teve uma “desastrosa intervenção em Odemira revertida pelo Supremo Tribunal”, a que se somam outras polémicas desde que substitui Constança Urbano de Sousa no cargo de ministro da Administração Interna, como foi o caso do SEF, que levou a uma desautorização por parte do Presidente da República.

Citando as palavras de António Costa de que “um primeiro-ministro existe para resolver problema”, André Ventura insistiu que, “neste momento, [o Governo] não tem maior problema do que o seu ministro da Administração Interna”, depois de o Supremo Tribunal Administrativo deu razão à providência cautelar inteposta pelos proprietário do Zmar e os vinte e oito migrantes aí alojados terem recebido ordem para deixar o local.

Costa repudia expressão de Galamba e recomenda “nervos de aço”

Questionado ainda por André Ventura sobre o secretário de Estado da Energia, João Galamba, que chamou “estrume” a ao programa “Sexta às nove” da RTP, o primeiro-ministro disse que o governante “já tirou as suas próprias consequências por ter considerado inapropriada a forma como se expressou sobre esse programa”, ao retirar a publicação das redes sociais.

“Não posso dizer que é que essa não é a expressão adequada e que os membros do Governo têm de ter particulares nervos de aço para ouvirem mesmo as coisas mais desagradáveis. É o que eu faço, roo um bocadinho mais as unhas”, disse.

Relacionadas

Líder do CDS-PP insiste na demissão de Eduardo Cabrita e João Galamba

Francisco Rodrigues dos Santos, que já pediu por várias vezes a demissão do ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, na sequência da requisição civil no ZMAR, em Odemira, estendeu agora esse pedido ao secretário de Estado da Energia, João Galamba, acusando-o de ter atacado “de forma ordinária” um canal de televisão.

“Dizem que é porque andou consigo na escola”. Iniciativa Liberal questiona continuação de Eduardo Cabrita no Governo

Durante debate sobre política geral no Parlamento, João Cotrim Figueiredo sublinhou que Eduardo Cabrita é “um ministro que é mau nas decisões e ainda pior nas justificações” e que mesmo assim permanece no Governo.
Recomendadas

Arraial da IL em Lisboa com parecer desfavorável da DGS para atividades que extravasem comício

A Iniciativa Liberal (IL) promove este sábado um “Arraial Liberal” em Santos, Lisboa, com animação e 20 barraquinhas, mas a autoridade de saúde deu parecer desfavorável a todas as atividades que extravasem o comício político, e recomendou distanciamento.

G7. Líderes acordaram lançar plano de infraestruturas para combater projeto da China

A proposta dos EUA visa mobilizar capital do sector privado para promover projetos em quatro áreas: clima, segurança sanitária, tecnologia digital e igualdade de género, além de contar com investimentos de instituições financeiras.

G7. Primeiro-Ministro britânico considera “momento histórico” declaração para prevenir futuras pandemias

“Com este acordo, as principais democracias do mundo vão comprometer-se a evitar que uma pandemia global volte a acontecer, para que a devastação causada pela covid-19 nunca se repita”, disse Boris Johnson, na sua conta na rede social Twitter.
Comentários