Covid-19: Espanha retira obrigação de certificado sanitário nas fronteiras terrestres

O Boletim Oficial do Estado espanhol publica hoje uma resolução para suprimir a obrigação de dispor à entrada de Espanha pelas fronteiras terrestres de certificações sanitárias como as exigidas a quem entra por via aérea e marítima

5 – Espanha

A porta-voz do Governo espanhol já tinha assegurado na terça-feira que Madrid iria, no que diz respeito a deslocações por terra com Portugal, “voltar onde se estava” antes.

“Não se vai requerer nenhum tipo de prova, nenhum tipo de protocolo adicional além do que já se pedia”, disse.

O Governo português tinha pedido na segunda-feira esclarecimentos e ameaçado tomar medidas de reciprocidade após Espanha impor a obrigação de os viajantes por via terrestre de Portugal para Espanha disporem de um teste de diagnóstico à covid-19 negativo (feito nas 48 horas anteriores), que poderia ser PCR ou antigénio, certificado de vacinação ou de recuperação da doença.

O Ministério da Saúde espanhol publica hoje uma resolução, no que corresponde no país ao Diário da República, que estipula que “fica suprimido o parágrafo quarto da Resolução de 4 de Junho de 2021”.

Esse parágrafo previa que a partir da última segunda-feira “todas as pessoas com idade igual ou superior a seis anos provenientes de países ou zonas de risco que cheguem a Espanha por via terrestre devem possuir uma das certificações…” de realização de um teste de diagnóstico à covid-19.

Recomendadas

DBRS vê economia portuguesa a crescer 4,5% este ano, mas num cenário adverso retoma poderá ser de 1%

A agência com sede em Toronto prevê ainda que num cenário moderado a taxa de desemprego em Portugal deverá atingir os 7% este ano e 7,5% em 2022. Já num cenário adverso prevê que suba para 8% em 2021 e 9% em 2022.

IRC mínimo: “Pode até nem ter impacto significativo nas empresas portuguesas”, diz Samuel de Almeida

Acordo do G7 passa por taxa mínima de 15% a aplicar ao imposto sobre os lucros das empresas independentemente da localização fiscal para evitar o desvio dos lucros para serem tributados em jurisdições com menos impostos. Fiscalista da VdA analisa medida e minimiza consequências para as empresas portuguesas, salvaguardando que ainda não se conhecem as regras.

Efeitos do Brexit. Exportações de alimentos e bebidas do Reino Unido para a UE caíram para metade

A Food and Drink Federation disse que a queda justifica-se “em grande parte” devido à mudança nas relações comerciais do Reino Unido e a pandemia. O governo britânico desvalorizou os dados e disse que “ainda é muito cedo para tirar conclusões concretas”.
Comentários