Covid-19: Estados Unidos têm mais 888 mortes e 52.041 infetados

O país já identificou um total de 198.477 óbitos e 6.722.537 casos de coronavírus.

Estados Unidos | Lucas Jackson/Reuters

Os Estados Unidos registaram 888 mortes e 52.041 infetados nas últimas 24 horas, devido ao covid-19, indicou na sexta-feira a Universidade Johns Hopkins.

Desde o início da pandemia, o país contabilizou 198.477 óbitos e 6.722.537 casos de covid-19, de acordo com a contagem independente da universidade norte-americana.

Na quinta-feira, a contagem da Universidade Johns Hopkins dava conta de 928 mortos e 44.254 contágios em 24 horas.

Embora Nova Iorque já não seja o estado com o maior número de infeções, continua a ser aquele que contabiliza mais óbitos (33.172), um número superior ao de países como França ou Espanha. Só na cidade de Nova Iorque morreram 23.775 pessoas, indicaram as autoridades locais.

O Instituto de Métricas e Avaliações de Saúde da Universidade de Washington estimou que os Estados Unidos terão ultrapassado as 258 mil mortes aquando das eleições presidenciais, agendadas para 03 de novembro, e as 400 mil até final do ano.

Os Estados Unidos são o país com mais mortos e também com mais casos de infeção confirmados.

A pandemia de covid-19 já provocou pelo menos 946.727 mortos e mais de 30,2 milhões de casos de infeção em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

Ler mais
Relacionadas

Trump anuncia nova ajuda ao setor agrícola de 13 mil milhões de dólares

Esta é a segunda concessão económica que o Governo norte-americano faz aos agricultores, considerados os eleitores mais leais a Trump, para minorar os efeitos da epidemia.

EUA: Pedidos de subsídio de desemprego abaixo de um milhão pela terceira semana seguida

Apesar disso, os números mostram que a pandemia continua a afetar o mercado laboral norte-americano, que ainda registar valores semanais de pedidos de apoio ao desemprego superiores aos do pico da Grande Recessão.
Recomendadas

Líderes europeus querem evitar a todo o custo novo encerramento de fronteiras, sublinha António Costa

No final do Conselho de Ministros extraordinário desta quinta-feira, António Costa explicou os compromissos e estratégias acertadas entre os líderes dos 27 estados-membros do bloco europeu, sublinhando que a responsabilidade de conter a pandemia e evitar o colapso dos sistemas de saúde é, agora, de cada um “individualmente”.

França vai gastar 15 mil milhões de euros com medidas de contenção para conter novo coronavírus

“Vamos reforçar todos os dispositivos de ajuda”, afirmou o governante, especificando que seis mil milhões respeitam a fundos de solidariedade, sete mil milhões para desemprego parcial (o designado ‘lay-off’), mais de mil milhões para exonerações de contribuições sociais e outro tanto para assumir custos de empresas com alugueres.

“Não desistimos de nenhuma batalha antes de acabar”. PCP apresenta propostas de alteração ao OE 2021

Entre as medidas apresentadas, no campo da justiça fiscal, João Oliveira anunciou que os comunistas pretendem a “atualização dos escalões IRS, o aumento de mais um escalão neste imposto aumentando a progressividade do mesmo, bem como o aumento dos chamados valores do mínimo de existência e dedução especifica, permitindo cumprir o objetivo de redução da tributação dos rendimentos mais baixos, intermédios”.
Comentários