Covid-19. França regista novo recorde diário com 32.427 casos de infeção

França registou um novo recorde de casos diários de covid-19, com 32.427 pessoas infetadas nas últimas 24 horas, elevando para 867.197 o número total de contágios, de acordo com os dados divulgados hoje pela agência francesa de saúde.

Gonzalo Fuentes/Reuters

Segundo o boletim diário sobre a evolução da covid-19 em França, verificaram-se 90 mortes associadas à doença nas últimas 24 horas, o que aumenta para 33.392 o número total de mortes desde o início da pandemia.

Relativamente ao novo recorde de casos diários de covid-19, com 32.427 pessoas infetadas, o recorde anterior ocorreu na passada quinta-feira, com 30.621 infeções.

Com os dados das últimas 24 horas, França contabiliza 867.197 casos de infeção, indicou a agência francesa de saúde.

Além do novo recorde de casos diários de covid-19, os dados das últimas 24 horas apresentam os piores registos em quase todos os parâmetros de acompanhamento da evolução da pandemia, inclusive a taxa de casos positivos entre os testes realizados e o internamento de doentes.

A taxa de casos positivos entre os testes realizados aumentou para 13,1% do total de testes (12,9% na sexta-feira), enquanto foram registadas 7.198 internamentos nos últimos sete dias (6.906 na sexta-feira), revelou os dados divulgados pela agência francesa de saúde.

Além disso, há 1.298 doentes em cuidados intensivos, em comparação aos 1.204 doentes nessa situação na sexta, segundo o boletim diário sobre a evolução da covid-19 em França.

As autoridades sanitárias francesas têm contabilizadas 1.722 fontes de contágio em todo o país, mais 145 do que na sexta-feira.

Os dados das últimas 24 horas em França mostram um agravamento em todos os parâmetros nos últimos dias, que são divulgados enquanto nove grandes áreas metropolitanas da França, incluindo Paris, acabam de lançar um toque de recolher das 21:00 às 06:00 durante quatro semanas para tentar travar a curva de contágios e evitar a saturação dos hospitais, principalmente nas unidades de cuidados intensivos.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 1,1 milhões de mortos e mais 39,3 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

Ler mais
Recomendadas

Anthony Fauci critica reação dos EUA à pandemia e politização das máscaras

“Na verdade, as pessoas são ridicularizadas por usarem máscara. Depende do lado particular do espetro político em que se encontram, o que é muito doloroso para mim como médico, cientista e funcionário da saúde pública”, frisou Fauci.

Novas restrições serão circunscritas a territórios

Questionado se o Governo optará por ações localizadas ou se admite restrições nacionais como um novo confinamento geral, Lacerda Sales disse que “todos os países da Europa estão neste momento a tentar estabilizar num determinado modelo que pode comportar muitas variáveis”.

Facebook reconhece erros na proibição de anúncios políticos

“Estamos a investigar anúncios que foram erroneamente suspensos, e perguntas de anunciantes que estão a ter dificuldades em ajustar as suas campanhas. Estamos a trabalhar para resolver estes problemas rapidamente”, escreveu terça-feira, no Twitter, um gestor de produtos publicitários do Facebook, Rob Leathern.
Comentários