Covid-19. França regista novo recorde diário com 32.427 casos de infeção

França registou um novo recorde de casos diários de covid-19, com 32.427 pessoas infetadas nas últimas 24 horas, elevando para 867.197 o número total de contágios, de acordo com os dados divulgados hoje pela agência francesa de saúde.

Gonzalo Fuentes/Reuters

Segundo o boletim diário sobre a evolução da covid-19 em França, verificaram-se 90 mortes associadas à doença nas últimas 24 horas, o que aumenta para 33.392 o número total de mortes desde o início da pandemia.

Relativamente ao novo recorde de casos diários de covid-19, com 32.427 pessoas infetadas, o recorde anterior ocorreu na passada quinta-feira, com 30.621 infeções.

Com os dados das últimas 24 horas, França contabiliza 867.197 casos de infeção, indicou a agência francesa de saúde.

Além do novo recorde de casos diários de covid-19, os dados das últimas 24 horas apresentam os piores registos em quase todos os parâmetros de acompanhamento da evolução da pandemia, inclusive a taxa de casos positivos entre os testes realizados e o internamento de doentes.

A taxa de casos positivos entre os testes realizados aumentou para 13,1% do total de testes (12,9% na sexta-feira), enquanto foram registadas 7.198 internamentos nos últimos sete dias (6.906 na sexta-feira), revelou os dados divulgados pela agência francesa de saúde.

Além disso, há 1.298 doentes em cuidados intensivos, em comparação aos 1.204 doentes nessa situação na sexta, segundo o boletim diário sobre a evolução da covid-19 em França.

As autoridades sanitárias francesas têm contabilizadas 1.722 fontes de contágio em todo o país, mais 145 do que na sexta-feira.

Os dados das últimas 24 horas em França mostram um agravamento em todos os parâmetros nos últimos dias, que são divulgados enquanto nove grandes áreas metropolitanas da França, incluindo Paris, acabam de lançar um toque de recolher das 21:00 às 06:00 durante quatro semanas para tentar travar a curva de contágios e evitar a saturação dos hospitais, principalmente nas unidades de cuidados intensivos.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 1,1 milhões de mortos e mais 39,3 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

Ler mais
Recomendadas

CDS-PP diz que Governo escolheu ser “popular” em vez de “prudente” no combate à Covid-19

O líder parlamentar do CDS-PP, Telmo Correia, considera que, ao querer ser popular, o Governo cometeu “várias imprudências” no combate à Covid-19 e “disse tudo e o seu contrário”, pondo de lado a contratualização do setor privado para ajudar os hospitais públicos.

PAN aponta quatro “medidas inteligentes e coerentes” para reduzir contágio de Covid-19

Limitação da lotação e reforço da oferta dos transportes públicos, obrigatoriedade do teletrabalho, restrições nos horários do comércio e aulas em casa a partir do terceiro ciclo de escolaridade foram apontados por André Silva como formas de reduzir a progressão da Covid-19.

“Primeira Pessoa”. “Fundos europeus? Quem come a semente não chega ao fruto”

Cinco anos depois de ter conseguido mais de 150 mil votos, Vitorino Silva volta a candidatar-se à Presidência da República. Em entrevista ao programa “Primeira Pessoa”, da plataforma multimédia JE TV, o candidato deu a sua visão de como devem ser encarados os fundos europeus.
Comentários