Covid-19: Igreja suspende batismos, crismas e casamentos

A Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) decidiu que ficam suspensas ou adiadas as celebrações de batismos, crismas e casamentos, face ao que classifica como “gravíssima situação de pandemia” que Portugal vive.

“Estamos conscientes da gravíssima situação de pandemia que vivemos neste momento, a exigir de todos nós acrescida responsabilidade e solidariedade no seu combate, contribuindo para superar a crise com todo o empenho”, refere a CEP numa nota de imprensa.

Tendo em conta as orientações governamentais decretadas para o confinamento, que se inicia em 15 de janeiro, a CEP salienta que são mantidas as celebrações litúrgicas, nomeadamente a eucaristia e as exéquias (cerimónias fúnebres e funerais), segundo as orientações da Conferência Episcopal Portuguesa de 8 de maio de 2020, emanadas em coordenação com a Direção Geral da Saúde. Todas as restantes celebrações devem ser suspensas ou adiadas.

“Outras celebrações, como Batismos, Crismas e Matrimónios, devem ser suspensas ou adiadas para momento mais oportuno, quando a situação sanitária o permitir”, refere a CEP adiantando também que a catequese continuará em regime presencial onde for possível observar as exigências sanitárias, de contrário, pode ser por via digital ou cancelada.

A Conferência Episcopal Portuguesa recomenda ainda que outras atividades pastorais se realizem de modo digital ou sejam adiadas.

“A nossa celebração da fé abre-nos ao Deus da misericórdia e exprime o compromisso solidário com os esforços de todos os que procuram minimizar os sofrimentos, gerando uma nova esperança que, para além das vacinas, dê sentido e cuide a vida em todas as suas dimensões”, acrescenta a CEP.

O primeiro-ministro, António Costa, anunciou na quarta-feira que Portugal vai “regressar ao dever de recolhimento domiciliário” tal como em março e em abril, alertando que este é simultaneamente o momento “mais perigoso, mas também um momento de maior esperança”.

A pandemia de covid-19 já provocou pelo menos 1.963.557 mortos resultantes de mais de 91,5 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 8.236 pessoas dos 507.108 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

Ler mais
Recomendadas

Restaurantes da Ibersol concentram-se no ‘take away’ e no ‘delivery’

As cadeias de restauração Burger King, KFC, Pans & Company, Pizza Hut e Taco Bell passam a funcionar centrados no serviço de entrega ao domicílio e de recolha no restaurante.

Empresas vão de emitir credencial para trabalhadores se deslocarem

O primeiro-ministro anunciou hoje novas medidas para endurecer o atual confinamento geral. Ao mesmo tempo, as grandes empresas têm 48 horas para comunicar quem são os trabalhadores dispensados de teletrabalho.

“Rastreio alargado que existe no futebol pode ser adaptado noutros contextos”, defendem médicos de saúde pública

Protocolo existente no futebol profissional tem permitido que a Liga continue a desenrolar-se num país onde o cenário pandémico é cada mais vez mais preocupante. Em entrevista no programa “Jogo Económico”, da plataforma multimédia JE TV, Gustavo Tato Borges defende rastreios alargados como acontece com os futebolistas.
Comentários