Covid-19: Portugal com 735 mortes e 20.863 casos confirmados

Os dados divulgados pela Direção-Geral da Saúde (DGS) indicam a existência de 20.863 casos confirmados e 735 mortes. O número de casos recuperados em Portugal fixou-se em 610.

Graça Freitas, diretora-geral da DGS, e António Lacerda Sales, secretário de Estado da Saúde | Tiago Petinga / Lusa

Portugal conta com um total de 20.863 casos confirmados da Covid-19, mais 657 face ao dia anterior, revela o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde divulgado esta segunda-feira, 20 de abril. O número de vítimas mortais do novo coronavírus no país aumentou para 735, o que corresponde a mais 21 mortes nas últimas 24 horas.

O boletim epidemiológico divulgado esta manhã indica que, até à data, foram registados 198.353 casos suspeitos e 4.739 pessoas ainda aguardam os resultados das análises laboratoriais de Covid-19. Atualmente existem 172.751 casos não confirmados após as análises, e 30.805 encontram-se sob vigilância das autoridades de saúde.

A DGS revela que atualmente existem 12.543 casos registados no Norte, 2.952 no Centro, 4.709 em Lisboa, 311 no Algarve, 107 casos na Região Autónoma dos Açores, 80 na Região Autónoma da Madeira e 161 casos no Alentejo.

Do total de 735 mortes, 424 foram no Norte, 164 no Centro, 130 em Lisboa e Vale do Tejo, 11 no Algarve e seis nos Açores. Até à data continuam sem existir óbitos no Alentejo e na Madeira.

O boletim da DGS contabiliza cinco vítimas mortais do sexo feminino e três do sexo masculino entre na faixa etária entre os 40 e os 49 anos de idade. Registaram-se 15 vítimas do sexo masculino e cinco do sexo feminino na faixa etária dos 50 aos 59, 43 vítimas entre os 60 e os 69 do sexo masculino e 22 do sexo feminino, 89 óbitos masculinos e 66 óbitos femininos entre 70 e os 79 anos e 218 masculinos com mais de 80 anos. Até à data 269 mulheres com mais de 80 anos faleceram devido ao novo coronavírus.

Existem 1.208 internados, dos quais 215 estão em Unidades e Cuidados Intensivos (UCI) e os casos recuperados fixaram-se em 610.

Porto é o concelho com mais casos confirmados, totalizando 1.068, seguindo-lhe Lisboa e Vila Nova de Gaia com 1.060. Matosinhos com 876, Braga com 856 e Gondomar com 837. Maia com 744, Valongo com 592 , Ovar com 511 e Sintra com 502. O número de casos importados ascendeu para um total de 745.

O grupo etário com mais casos confirmados é dos 40-49 anos (1.417 homens e 2.181 mulheres), num total de 3.598 seguindo a dos 50 aos 59 anos (1.391 homens e 2.191 mulheres), com um total de 3.582. Existem 940 crianças e adolescentes infetados, entre os 0 e os 19 anos de idade. Atualmente existem 8.527 homens e 12.336 mulheres infetados pelo novo coronavírus.

O número de casos nas faixas etárias entre os 30 e os 39 anos e os 60 e 69 anos têm verificado aumentos. O boletim da DGS assume a existência de 1.237 homens e 1.694 mulheres infetados entre os 30 e 39 anos, e 1.171 homens e 1.332 mulheres com casos confirmados entre os 60 e 69 anos. Atualmente existem 2.091 mulheres com mais de 80 anos infetadas com Covid-19.

Em relação aos sintomas, os mais referidos são tosse (52%), febre (38%), dores musculares (27%), cefaleias (24%), fraqueza generalizada (20%) e dificuldades respiratórias (16%).

[Notícia atualizada às 12h58]

Relacionadas

Infografia | Covid-19: ponto de situação em Portugal a 19 de abril

Veja aqui a evolução do novo coronavírus em Portugal, com os indicadores disponibilizados pela Direção-Geral da Saúde (DGS).
Recomendadas

EMA prevê recomendação sobre vacina da Pfizer em crianças no final do ano

“A nossa recomendação é esperada dentro de dois meses, mas informação ou análise suplementar poderá ser necessária”, afirmou o responsável da instituição para a Estratégia de Ameaças Biológicas para a Saúde e Vacinas, Marco Cavaleri.

OE2022: Sem PRR subida do investimento público fica 59 milhões abaixo de 2021, diz UTAO

Quanto à receita efetiva, que aumenta 7.974 ME (8,8%), “a recuperação prevista assenta na componente não fiscal nem contributiva (+ 5.033 ME), justificada pelo aumento previsional das transferências da UE, no contexto do Next Generation EU [fundo de recuperação] (3.465 ME)”.

“OE2022? Primeiro-ministro não quer negociar”, acusa líder parlamentar do Bloco de Esquerda

Em entrevista à Antena 1, Pedro Filipe Soares acusou o primeiro-ministro de não querer negociar medidas do Orçamento do Estado para 2022: “Proposta do OE não continha nenhum medida proposta pelo BE”, realçou o líder parlamentar do Bloco de Esquerda.
Comentários