Covid-19: Presidente da Assembleia Legislativa convoca Comissão Permanente

A reunião conta com a presença do Vice-Presidente do Governo Regional, Pedro Calado, e integra ainda os líderes parlamentares do PSD, PS, CDS-PP, JPP, o deputado único do PCP e os Vice-Presidentes da Assembleia Legislativa da Madeira.

Assembleia Legislativa da Madeira

O Presidente da Assembleia Legislativa da Madeira, José Manuel Rodrigues, convocou para a próxima segunda-feira, dia 30 de março, pelas 10h, a Comissão Permanente para analisar a situação relativa ao combate ao surto de Covid-19.

A reunião conta com a presença do Vice-Presidente do Governo Regional, Pedro Calado, e integra ainda os líderes parlamentares do PSD, PS, CDS-PP, JPP, o deputado único do PCP e os Vice-Presidentes da Assembleia Legislativa da Madeira.

Na agenda de trabalho vão estar as medidas de prevenção e de combate ao novo coronavírus, os planos de recuperação da economia e de apoio ao tecido empresarial e às famílias, bem como as consequências desta pandemia no arquipélago da Madeira.

A reunião vai acontecer na sala de plenários do parlamento madeirense, já tendo sido tomadas todas as medidas de limpeza e desinfeção do espaço. A disposição dos intervenientes tem em conta a distância de segurança recomendada pelas autoridades de saúde pública.

Recomendadas

Madeira atinge os 50 casos positivos de coronavírus

Esta semana termina a quarentena obrigatória para um primeiro grupo que cumpre o isolamento em unidade hoteleira. Neste sentido, foram já realizados 27 testes de rastreio à Covid-19 que aguardam resultado.

Cartões contactless com novo limite de 50 euros

Esta medida surge no âmbito da pandemia da COVID 19, procurando assim o Governo alargar e manter as recomendações de distanciamento social, incentivando-se os pagamentos “sem contacto”.

Linha de apoio a empresas da Madeira de 100 milhões de euros tem acesso universal

O início da operação será entre 20 e 24 de abril, e o período de vigência até 31 de dezembro de 2020. Se existir quebra de faturação de 40% e se as empresas mantiverem os postos de trabalho no período de carência de 18 meses o apoio transforma-se em fundo perdido.
Comentários