Covid-19: Riberalves entrega bacalhau em casa sem custos acrescidos

A empresa nacional de transformação de bacalhau garante que esta iniciativa no distrito de Lisboa cumpre as melhores práticas de saúde, higiene e segurança alimentar, bem como as recomendações da Direcção-Geral de Saúde.

A empresa Riberalves decidiu desencadear uma operação para entrega de bacalhau ao domicílio no distrito de Lisboa, sem custos acrescidos.

O grupo Riberalves lançou uma “iniciativa de distribuição de bacalhau porta-a-porta, sem custos de entrega, procurando colmatar as necessidades dos cidadãos face ao surto da Covid-19”, garantindo que a logística da empresa “cumpre as melhores práticas de saúde, higiene e segurança alimentar, bem como as recomendações da Direcção-Geral de Saúde”, incluindo a ausência de contacto social.

“Na sequência do surto da Covid-19, da caracterização de pandemia declarada pela Organização Mundial de Saúde e das recomendações de quarentena aconselhadas aos cidadãos nacionais pelos diversos organismos, nomeadamente pela Direcção-Geral de Saúde (DGS), a Riberalves desencadeia uma operação de distribuição de bacalhau pronto a cozinhar ao domicílio, no distrito de Lisboa, sem custos de entrega, procurando colmatar as necessidades dos cidadãos”, assegura um comunicado da empresa.

De acordo com esse documento, “a iniciativa destina-se a minimizar as limitações no acesso aos pontos de distribuição habituais, bem como nas deslocações individuais, possibilitando que apenas uma pessoa, o colaborador Riberalves, possa chegar ao máximo de lares possível”.

“Neste sentido, as entregas são viabilizadas pela frota de distribuição própria da Riberalves, instalada e a operar no Distrito de Lisboa, com garantia de agilidade, não podendo, por questões logísticas, estender-se a outros pontos do país”, acrescenta o referido comunicado.

A Riberalves assgura que “a operação, desde o processamento da encomenda à entrega, observa as melhores práticas de saúde, higiene e segurança alimentar, bem como as recomendações da DGS, relacionadas com a prevenção de contágio da Covid-19”.

“Neste sentido, as entregas são feitas mediante pré-pagamento e as encomendas deixadas à porta das moradas indicadas, sem contacto social. Ainda assim, a Riberalves apela a que todas as recomendações da DGS sejam seguidas pelos clientes”, assinala o comunicado em questão.

A empresa adianta que toda a mecânica da iniciativa está anunciada em www.riberalves.pt, acrescentando que as encomendas, no valor mínimo de 35 euros, deverão ser efetuadas através do ’email’ bacalhauemcasa@riberalves.pt, estando sujeitas ao ‘stock’ e à capacidade de distribuição existente.

“A forma de pagamento antecipado garante a ausência de contacto social”, prometem os responsáveis da empresa, adiantando que, “paralelamente a esta iniciativa, a Riberalves, enquanto empresa do sector alimentar, prossegue a sua missão de abastecimento de cadeia de distribuição, procurando contribuir para que os portugueses continuem a ter acesso a produtos de primeira necessidade” e que “toda a atividade da empresa acompanha as recomendações da DGS”.

A Riberalves é uma empresa familiar, 100% nacional, que opera na transformação de bacalhau. Fundada em 1985, a Riberalves focou a atividade exclusivamente no setor do bacalhau a partir de 1990, com a inauguração de uma primeira fábrica, em Torres Vedras.

A partir de 2003, graças ao investimento numa nova unidade industrial, na Moita, hoje a maior fábrica mundial de transformação de bacalhau, a Riberalves estendeu a capacidade produtiva em 60% e tornou-se referência no desenvolvimento de um novo produto, capaz de responder às novas tendências de consumo: o bacalhau pronto a cozinhar.

Com uma produção de 25 mil toneladas/ano e exportações que valem 25% das vendas, a Riberalves é uma das participadas do grupo, que integra ainda as empresas AdegaMãe e Riberalves Imobiliária.

Ler mais
Recomendadas

Vinhos verdes prometem contra-atacar primeira queda nas exportações desde 2004

“Nós aumentámos todos os anos as exportações, desde 2004 até 2019. Este será o primeiro ano em que, de certeza, interromperemos esse ciclo fantástico de crescimento”, afirmou o presidente da comissão de viticultura.

Empresas querem digitalizar restaurantes e desafiam-nos a aderir às ementas online

Páginas Amarelas, Emenuk ou Zwypit propõem que se minimize o contacto físico entre consumidor e staff com aplicações móveis.

Ministra da Agricultura vai inaugurar mercado digital ‘Prove Viseu Dão Lafões’

O mercado ficará alojado, este ano, na plataforma Dott.pt e é dedicado à comercialização de vinho, queijos, fumeiros, mel, compotas e outros produtos de excelência dos 14 municípios da Comunidade Intermunicipal de Viseu.
Comentários