Covid-19: Rodoviária de Lisboa avança para ‘lay-off’ parcial

A partir de manhã, dia 9 de abril, a subsidiária do Grupo Barraqueiro vai aplicar uma redução das horas de trabalho de todos os colaboradores.

Foto cedida

A transportadora Rodoviária de Lisboa, empresa subsidiária do Grupo Barraqueiro, anunciou, em comunicado, que vai avançar para ‘lay-off’ parcial, em resultado do impacto causado pelo surto do coronavírus.

“A Rodoviária de Lisboa, empresa que opera nos concelhos de Lisboa, Loures, Odivelas e Vila Franca de Xira irá entrar em ‘lay-off’ parcial a partir de amanhã, 9 de abril, com redução das horas de trabalho de todos os colaboradores”, revela o referido comunicado.

De acordo com os responsáveis da Rodoviária de Lisboa, “a quebra na procura dos serviços de transporte, na sequência das restrições de mobilidade associadas à pandemia de Covid-19, resultou numa drástica redução das receitas provenientes dos passes e dos bilhetes”.

“A decisão de avançar para o regime de ‘lay-off’ parcial tem como objetivo assegurar a manutenção dos postos de trabalho de todos os colaboradores”, assegura o mesmo comunicado.

O comunicado não esclarece quantos funcionários da Rodoviária de Lisboa serão abrangidos por esta medida.

A administração da rodoviária de Lisboa assegura que “os serviços mínimos de mobilidade serão mantidos, assegurando uma oferta de carreiras ajustada à procura que existe atualmente”.

“Estarão em circulação todas as viaturas articuladas que compõem a frota da Rodoviária de Lisboa, com maior número de lugares sentados, com o objetivo de garantir o cumprimento do distanciamento social recomendado pela Direção-Geral de Saúde”, conclui o comunicado em questão.

Ler mais
Recomendadas

Estaleiros de Viana, CTT Logística e STCP apostam na inovação

A tecnologia está a diferenciar as novas soluções que respondem às necessidades dos serviços e negócios nascidos da rápida evolução que os mercados estão a ter no transporte e na logística.

Hotéis do grupo Prainha reabrem com 24 horas de intervalo em cada dormida

As unidades hoteleiras em Alvor e Lagos voltam a abrir portas na próxima sexta-feira.

Respostas rápidas: Como vai funcionar o novo Instrumento de Apoio à Solvabilidade europeu

O novo instrumento temporário proposto pela Comissão Europeia é dirigido a empresas “economicamente viáveis”, mas que enfrentam problemas de solvabilidade provocados pela crise da Covid-19. Quer desbloquear 300 mil milhões de euros para empresas situadas na União Europeia e um dos critérios de acesso é que com base nas contas de 2019 não apresentassem já necessidades de auxílios.
Comentários