Cristiano Ronaldo bate dois recordes no jogo contra a Hungria

Na estreia de Portugal no Euro2020, Cristiano Ronaldo marcou dois golos valendo-lhe o título de melhor marcador em fases finais de Campeonatos Europeus.

HUGO DELGADO/LUSA

Depois de Raphael Guerreiro ter inaugurado um marcador frente à Hungria, esta terça-feira, Cristiano Ronaldo bisou mais dois golos, valendo-lhe o título de melhor marcador de sempre em fases finais do Europeu.

CR7 dividia a liderança do “ranking” com o francês Michel Platini, ambos com nove golos. Mas hoje, depois do penalti aos 87 minutos e um terceiro golo aos 92 minutos, passou a ter 11 em fases finais de Campeonatos Europeus. Com este novo título, Ronaldo fica a três golos de se tornar no melhor marcador de sempre em Seleções Nacionais. Ronaldo, que contava nove golos em 21 jogos, nunca passou por uma fase final sem marcar, tendo somado dois tentos em 2004 (seis encontros), um em 2008 (três), três em 2012 (cinco) e outros três em 2016 (sete).

Além deste, o capitão da equipa das quinas também foi primeiro jogador da história a atuar em cinco fases finais de um Europeu, valendo-lhe o segundo o recorde de hoje.

A cumprir a quinta participação em fases finais do Europeu, Cristiano Ronaldo só falhou, desde 2004, um em 23 encontros: o de Portugal contra a Suíça, na terceira jornada da fase de grupos da edição de 2008, que resultou numa derrota a 2-0 para a equipa das quinas.

O próximo jogo da seleção está marcado para o próximo sábado, 19 de junho, frente à Alemanha e quarta-feira, 23 de junho, contra a equipa francesa.

Recomendadas

Votos físicos das últimas eleições do Benfica contados este mês, diz presidente da MAG

O presidente da Mesa da Assembleia-Geral do Benfica informou hoje que os votos físicos das últimas eleições do clube serão contados este mês e que a marcação da reunião extraordinária está dependente de autorização das autoridades de saúde.

Tóquio 2020: Os lucros de ouro dos atletas mais bem pagos presentes na competição

Jogadores da NBA dominam a lista, onde cabe também tenistas e um golfista. Receitas anuais atingem perto dos 300 milhões de euros.

Jogos Olímpicos: o que se pode esperar de Portugal no atletismo

As maiores esperanças da comitiva estão depositadas em Patrícia Mamona (triplo salto), Pedro Pablo Pichardo (triplo salto), e Auriol Dogmo (lançamento do peso). A assinalar também Liliana Cá (lançamento do disco) que tem marca no top 10 mundial.
Comentários