Create IT oferece plataforma a instituições de ensino, saúde e empresas

A Diggspace poderá ser usada durante três meses de forma gratuita.

A Create IT anunciou a disponibilidade gratuita durante três meses da plataforma Diggspace a entidades de saúde e de ensino (agrupamentos de escolas e universidades), bem como qualquer empresa do sector privado com mais de 100 colaboradores (neste caso, limitado às 20 primeiras empresas interessadas).

Disponível em modelo SaaS (software-as-a-service), sem necessidade de qualquer instalação local, a plataforma Diggspace permite conectar toda a organização e chamando a si uma série de ferramentas de trabalho como o Microsoft Teams, grupos, documentos, calendário, notícias, eventos, entre outros.

É de realçar a interacção entre e intra áreas, como, por exemplo, eventos/reuniões e outras comunicações dos diversos órgãos. De destacar, ainda, o módulo ideation, que permite a geração de novas ideias, de forma colaborativa e descentralizada à organização, particularmente útil no actual contexto de adaptação e transformação.

“Vivemos tempos desafiantes para a nossa forma de viver, interagir e trabalhar, em que as circunstâncias nos obrigam a um isolamento social forçado, a mudanças abruptas de rotinas e de formas de trabalhar. A pandemia que hoje nos assola força-nos a acelerar o processo de adopção das práticas de remote work e modern & digital workplace, em que se torna fundamental tirar partido de plataformas de colaboração como as diversas ferramentas disponíveis na suite Microsoft Office 365”, referiu Gustavo Leitão, Head of DiggSpace na Create IT.

PCGuia
Recomendadas

Talkdesk abre vinte vagas para o programa de estágios Tech Dojo

A tecnológica desenvolve esta iniciativa pela 4ª vez e esta edição será, tal como no ano passado, totalmente em formato remoto.

Tecnológicas dividem-se entre exigir ou não a vacinação dos funcionários no regresso ao trabalho

Nos Estados Unidos, os trabalhadores da Netflix, Facebook ou Google estão obrigados a levar a vacina contra a Covid-19, enquanto empresas como a Amazon, Microsoft ou Uber, optam por não recomendar a vacinação dos seus colaboradores.

Vivid chega a Portugal e permite comprar acções com um cêntimo

A fintech chega ao mercado nacional, depois de ter recebido um investimento de sessenta milhões de euros de Série B
Comentários