Crédito à habitação volta a subir e soma 976 milhões em outubro

Os dados são do Banco de Portugal que revela hoje que os montantes das novas operações de empréstimos para habitação, consumo e outros fins totalizaram 976, 391 e 156 milhões de euros, respetivamente.

Foram concedidos 976 milhões de euros em novas operações de crédito à habitação. No acumulado dos 10 meses, de janeiro a outubro deste ano, foram concedidos mais de 9 mil milhões de euros em crédito à habitação.

Os dados são do Banco de Portugal que revela hoje que os montantes das novas operações de empréstimos para habitação, consumo e outros fins totalizaram 976, 391 e 156 milhões de euros, respetivamente.

O crédito à habitação sobe 0,62% face a setembro deste ano e 2% face a outubro do ano passado.

Isto numa altura em que as taxas de juro de novas operações de empréstimos à habitação caem. Nas novas operações de empréstimos a particulares para habitação, a taxa de juro média desceu 5 pb, para 0,87%, um novo mínimo histórico, pelo terceiro mês consecutivo.

Já nos empréstimos ao consumo, a taxa de juro média diminuiu para 6,43% e, nos empréstimos para outros fins, aumentou para 3,76%. Em setembro, esta taxas tinham sido de 6,63% e 3,20%, respetivamente.

Em outubro, a taxa de juro média dos novos empréstimos concedidos a sociedades não financeiras (empresas) aumentou 7 pontos base (pb) face a setembro, para 2,07%. A taxa de juro das operações acima de 1 milhão de euros foi de 1,70% (1,77% em setembro) e a das operações abaixo de 1 milhão de euros de 2,31% (2,15% em setembro).

Nos depósitos os bancos pagam menos em juros aos clientes empresas e mantêm a taxa de juro dos depósitos dos particulares.

No que toca às taxas de juro de novas operações de depósitos verifica-se que em outubro de 2020, a taxa de juro média dos novos depósitos até um ano de sociedades não financeiras desceu 1 pb para um novo mínimo histórico de 0,03%. Nos novos depósitos até um ano de particulares, a taxa de juro média manteve-se em 0,06%.

Ler mais
Recomendadas

BES: Banco de Portugal e Ministério Público recorrem de absolvição da KPMG

Em resposta à Lusa, o Banco de Portugal (BdP) afirma que interpôs na quinta-feira “recurso para o Tribunal da Relação quanto à sentença proferida pelo Tribunal da Concorrência, Regulação e Supervisão no processo n.º 80/19.5YUSTR, que absolveu a KPMG Portugal e cinco dos seus auditores da decisão condenatória proferida pelo Banco de Portugal no processo de contraordenação n.º 100/14/CO”.

Notas contrafeitas retiradas de circulação pelo Banco de Portugal recuam 26% em 2020

O maior número de notas contrafeitas foi de 20 euros (6.292) e de 50 euros (3.034), tendo ainda sido apreendidas 1.823 notas de 10 euros, 443 notas de 100 euros e 324 notas de cinco euros.

Natixis quer transferir mais de 200 postos de trabalho para o Porto

O banco com sede em Paris apresentou o plano aos sindicatos no início desta semana e que ao pessoal afetado serão oferecidos pacotes para sair voluntariamente ou novas funções.
Comentários