Crédito Agrícola assina protocolo de colaboração com a startup Trigger Systems

O banco, com esta colaboração com a empresa do Fundão, pretende reforçar o seu compromisso “na sustentabilidade da agricultura e do turismo, bem como o seu papel como parceiro de excelência no apoio ao desenvolvimento sustentável destes setores e dos municípios”.

O Crédito Agrícola anunciou esta terça-feira que firmou um protocolo de colaboração a Trigger Systems para dar “condições preferenciais” aos seus clientes empresariais na compra de produtos e soluções baseadas em Internet das Coisas (IoT – Internet of Things) para sistemas aplicados à rega agrícola e de espaços verdes disponibilizados por esta startup portuguesa

Fundada em 2017 por Francisco Manso e Sara Gonçalves, esta empresa agrotech, com sede no Fundão, dedica-se à investigação e desenvolvimento de aplicações, software e hardware para controlo eficiente dos sistemas de rega automáticos, pondo fim ao desperdício de litros de água. Segundo a Trigger Systems, através da sua tecnologia foi possível obter uma poupança de cerca de 45% na conta da água, dos cerca de 2 mil dispositivos controlados pela sua plataforma.

Agora, os clientes do banco Crédito Agrícola passam a beneficiar de um desconto de 20% nos serviços da Trigger Systems.

“A proteção dos dados está devidamente assegurada, não havendo qualquer transmissão de dados entre as duas entidades. A assinatura deste protocolo pretende reforçar o compromisso do Crédito Agrícola na sustentabilidade da agricultura e do turismo, bem como o seu papel como parceiro de excelência no apoio ao desenvolvimento sustentável destes setores e dos municípios”, garante o grupo bancário, em comunicado.

Recomendadas

Altice investe dez milhões de euros na expansão da rede de fibra ótica em dez municípios

Atualmente, a rede de fibra ótica da Altice serve mais de 5,1 milhões de lares e empresas, mas o objetivo da operadora é chegar às 5,3 milhões de habitações. O objetivo passa por tornar Portugal “num dos primeiro países europeus com cobertura integral de fibra ótica”.

Uber só aceita carros elétricos a partir de 16 de julho

Uber quer acelerar eletrificação da frota de automóveis disponibilizados na plataforma. Para já, medida será aplicada aos novos veículos que se registem na plataforma nas áreas de Lisboa, Porto, Braga e Faro, nos serviços UberX, o principal da empresa, e Uber Comfort. Já nos serviços Black e XL, a empresa vai continuar a permitir a inscrição de veículos a gasóleo ou gasolina na sua plataforma, mas somente se substituírem um veículo já registado.

Retrato: 10 números que ilustram a delicada situação que a TAP vive

A pandemia da Covid-19 mudou o destino da companhia aérea portuguesa. Os vários cenários em cima da mesa neste momento apontam para a possibilidade de nacionalização, conforme já avisou o Governo, ou para a saída de um dos acionistas privados da empresa, David Neeleman. Estes 10 números ajudam a compreender a delicada situação que a transportadora aérea vive.
Comentários