Crédito ao consumo sobe 1,3% em julho. Foram concedidos 575 milhões de euros

O crédito ao consumo voltou a subir em julho. Os consumidores pediram emprestado 575 milhões de euros em novo crédito, mais 1,3% que em junho e mais 5,9% que em julho de 2020.

Os bancos deram 575 milhões de euros em novo crédito ao consumo em julho, o que corresponde a um aumento de 1,3% face ao mês anterior e a 5,9% face ao mesmo mês de 2020.

O número de contratos caiu -0,1% para 118.732, o que significa um aumento do valor por contrato de crédito.

Segundo dados divulgados esta quarta-feira pelo Banco de Portugal, o crédito pessoal justifica a maioria desta subida em julho. Um vez que subiu 3,95% face a junho, ou 236,6 milhões de euros. Neste valor de novo crédito ao consumo concedido, 227,2 milhões foi crédito sem finalidade específica, para o lar, crédito consolidado e outras finalidades (+4% face a junho e +27,6% que um ano antes). Já que o remanescente é para educação, saúde, energias renováveis e locação financeira de equipamentos e foi residual.

O financiamento através de cartões de crédito e linhas a descoberto caiu 4% para 92 milhões de euros. Ao passo que o crédito automóvel, em julho, subiu apenas 0,9%, para 247 milhões de euros de novo crédito face a junho.

No total, entre janeiro e julho deste ano, os consumidores contrataram 3.590 milhões de euros em crédito ao consumo. O que traduz um aumento de 8,1% face a igual período de 2020.

Recomendadas

Fidelidade integra rede de seguradoras mundial Insurope Network

Em Portugal, num total de 8.463 subsidiárias de empresas internacionais, 567 são clientes Insurope.

António Horta-Osório dá apoio público ao CEO do Credit Suisse

Numa publicação suíça, a “SonntagsBlick”, citada pela Reuters, ‘chairman’ e CEO aparecem lado a lado a defender a nova estratégia do Crédito Suisse virada para um maior controlo de risco.

BCP avança com ‘roadshow’ para emissão de obrigações sustentáveis elegíveis para MREL

Segundo a Bloomberg, a emissão de dívida sénior preferencial será feita ao abrigo do Euro Note Program do banco. A dívida será emitida em breve e contará para os requisitos mínimos para fundos próprios e passivos elegíveis.
Comentários