Criação de novas empresas em Portugal caiu 11% em outubro

Desde janeiro foram encerradas 12.719 empresas, menos 20% do que o verificado no período homólogo. O setor dos transportes foi o único a registar um valor mais elevado do que em 2019.

No mês de outubro em Portugal foram criadas mais 3.307 novas empresas, número que representa uma queda de 11% face ao mês de setembro e de 22% face a outubro de 2019, de acordo com o barómetro do Informa D&B divulgado esta terça-feira, 10 de novembro.

Esta foi uma descida transversal à quase totalidade dos setores, com os serviços empresariais e o alojamento e restauração a apresentarem os maiores recuos face a setembro. Desde o início do ano registaram-se 1.953 novos processos de insolvência, um aumento de 4,7% face ao mesmo período do ano anterior.

No período de confinamento entre março e abril, o nascimento de empresas registou uma quebra acentuada de 70% e 50% respetivamente. Com o alívio progressivo das medidas de contenção e a reabertura da economia, o mês de agosto já apresentou valores acima de 2019, tendência que se manteve na primeira quinzena de setembro.

Desde o início do ano e até 31 de outubro foram criadas 31.415 novas empresas, uma descida de 26% face ao período homólogo de 2019. Em sentido inverso, desde janeiro foram encerradas 12.719 empresas, menos 20% do que o verificado no período homólogo.

O setor dos transportes foi o único a registar um valor mais elevado do que em 2019, uma subida que se deveu ao aumento dos encerramentos nas empresas de transporte ocasional de passageiros em veículos ligeiros.

Em outubro foram iniciados 174 novos processos de insolvência, menos 15% do que no período homólogo, facto que está ligado à descida de novas insolvências nas indústrias (21 casos face ao período homologo e 36 casos do que no mês de setembro deste ano).

Recomendadas

Regulador aprova venda do controle dos ativos de fibra ótica da Oi no Brasil

A operadora de telecomunicações brasileira Oi já tinha anunciado o acordo de venda de parte dos ativos de fibra ótica da InfraCo à Globenet e BTG.

Pfizer e Moderna vão continuar a dominar mercado das vacinas anti-Covid em 2022

Segundo os cálculos da Airfinity, as duas fabricantes de vacinas mRNA irão dominar três quartos do mercado vacinal em 2022, alargando a margem entre as rivais AstraZeneca, Johnson & Johnson, a vacina russa Sputnik V.

Exportação de vinhos portugueses sobe 13% até agosto para 581 milhões de euros

“As exportações totais foram de 581 milhões de euros [até agosto], mais 13% do que no ano passado”, adiantou o presidente da ViniPortugal, Frederico Falcão, em declarações à Lusa, a propósito dos 25 anos da associação.
Comentários