Croácia poderá aderir ao euro em 2023

“Isto acontece sob a presunção de que a Croácia até lá satisfaz os critérios nominais de convergência”, afirmou esta sexta-feira o governador do Banco Nacional da Croácia, Boris Vujčić.

A Croácia, que é um dos Estados-membros da União Europeia desde 2013, está a preparar-se para dizer adeus à moeda kuna croata e introduzir o euro no país. Zagreb comprometeu-se, desde que chegou à comunidade única, a adotar o euro assim que tivesse as condições necessárias, mas não tinha uma data-limite estipulada.

Contudo, o governador do Banco Nacional da Croácia disse esta sexta-feira que o país da Europa Oriental deverá estar a pronto para introduzir a moeda única da União Europeia em 2023. Em declarações ao jornal croata “Večernji List”, Boris Vujčić afirmou que o país pode estar em condições de se juntar ao Mecanismo de Taxas de Câmbio (ERM-II, na sigla inglesa) até meio do ano que vem e, assim, a moeda mudar “pelo menos dois anos” depois.

A Croácia enviou ontem a Bruxelas uma carta a formalizar a intenção de fazer parte do ERM-II, que visa assegurar que as flutuações das taxas entre o euro e outras moedas europeias não perturbam a estabilidade económica do bloco. Ou seja, para ficar nesta lista de espera e, mais tarde, se juntar à zona euro.

Croácia segue, assim, o exemplo da Bulgária e da Roménia, que também estão a tentar adotar o euro. “A carta é mais um passo formal para entrar no ERM-II. Temos de participar neste mecanismo durante pelo menos dois anos para cumprir os critérios nominais para a introdução do euro. A carta e o plano de ação anexo descrevem também reformas que devem reforçar o potencial crescimento e a resistência da economia croata a possíveis perturbações”, afirmou, numa entrevista publicada esta manhã.

Ainda assim, Boris Vujčić salienta que “ainda não há datas definidas” e que o país tem de avançar neste processo “passo a passo”. “Isto acontece sob a presunção de que a Croácia até lá satisfaz os critérios nominais de convergência (…). As medidas estão previstas para serem implementadas no próximo ano, após o que esperamos uma avaliação positiva da prontidão e entrada no mecanismo de taxas de câmbio”, explicou o governador do banco central croata ao mesmo diário.

Recomendadas

Apoio socialista garante eleição de Ursula von der Leyen

Rejeição da candidata a presidente da Comissão Europeia entre os socialistas e os centristas não foi suficiente para impedir a eleição de Ursula von der Leyen.

Ursula von der Leyen: “No mar existe o dever de salvar vidas”

Discurso da candidata a presidente da Comissão Europeia antes da votação do seu nome no Parlamento Europeu ficou marcada por uma mensagem ambientalista e feminista. Mas também por palavras sobre a crise dos refugiados particularmente direcionadas a Matteo Salvini.

Ministro organiza jantares de lagosta com dinheiro público. Controvérsia atinge Governo francês

François de Rugy, ministro de Estado e Transição Ecológica, é acusado da organização de jantares de lagosta, para amigos, com dinheiros públicos, enquanto exerceu o lugar de presidente da Assembleia Nacional.
Comentários