CTT investem 15 milhões de euros na automatização do tratamento de correio

O Centro de Produção e Logística do Sul dos CTT vai ter novos equipamentos para automatizar a separação de correio e encomendas na estação de tratamento postal de Cabo Ruivo, em Lisboa. Os CTT dão mais um passo no plano de modernização e investimento de toda a rede postal e logística, avaliado em 40 milhões de euros.

Cristina Bernardo

Os CTT – Correios de Portugal fechou um contrato no valor de 15 milhões de euros com a empresa francesa Solystic, para equipar o Centro de Produção e Logística do Sul (CPLS) da operadora postal, em Cabo Ruivo, com equipamentos e sistemas operativos próprios para a automatização da separação de correio e encomendas, foi anunciado numa nota enviada à redação.

A empresa liderada por João Bento tem em marcha um plano de modernização e investimento em toda a rede postal e logística até 2021, no valor de 40 milhões de euros.

Segundo a nota dos CTT, os novos equipamentos do CPLS serão uma alavanca para “a sustentabilidade da operação e para o cumprimento no longo prazo dos níveis de qualidade de serviço prestados”.

Este investimento representa ainda um avanço na concretização bem-sucedida do plano de modernização e investimento do operador postal, que detém a concessão do serviço postal universal até ao fim do ano de 2020.

A operadora postal vai inaugurar a instalação dos novos equipamentos no CPLS no dia 14 de fevereiro (sexta-feira), um evento que contará com a visita do secretário de Estado Adjunto e das Comunicações, Alberto Souto de Miranda, acompanhado pelo presidente executivo dos CTT, João Bento.

Recomendadas

PremiumJerónimo Martins vai investir até 750 milhões para ter mais 290 lojas em 2020

Ara, na Colômbia, vai ter mais 130 lojas, e Biedronka, na Polónia, mais 100. Em Portugal, o Pingo Doce vai apostar num novo conceito de loja.

“Continuo muito cético em relação à economia portuguesa”, diz presidente da Jerónimo Martins

Num dos melhores anos de sempre da atividade do Grupo Jerónimo Martins – 2019 – o seu presidente, Pedro Soares dos Santos, considera que há constrangimentos em Portugal que impedem que o desenvolvimento dos projetos empresariais e industriais tenha um sucesso semelhante ao que se comprova em outros mercados, como a Polónia ou a Colômbia.

Pingo Doce vai abrir o primeiro restaurante “sozinho”

Chegou a vez do Pingo Doce abrir um restaurante “stand alone”, revelou o presidente do Grupo Jerónimo Martins, Pedro Soares dos Santos, durante a apresentação de resultados de 2019. “A marca Pingo Doce passará a ser uma mistura de restaurantes e supermercados”, diz.
Comentários