CTT recolhem e enviam donativos dos portugueses para Moçambique

Os CTT – Correios de Portugal, em parceria com os Correios de Moçambique, arrancam esta segunda-feira, dia 25, com uma ação de recolha de roupas doadas pelos portugueses nas Lojas CTT, para enviar para Moçambique.

Com a passagem do ciclone Idai milhares de moçambicanos foram afetados pelas cheias. A ajuda de todos é fundamental e, assim, os CTT estão a fornecer Embalagens Solidárias para que os portugueses possam enviar roupas para Moçambique.

Basta chegar a uma das 538 Lojas CTT espalhadas por todo o país, pedir uma Embalagem Solidária, colocar o donativo e o envio será realizado, de forma gratuita. Os portugueses podem contribuir com roupas, uma das grandes necessidades em Moçambique, segundo o pedido dos Correios de Moçambique.

Para Miguel Salema Garção, Diretor de Marca, Comunicação e Sustentabilidade, “Esta ação em colaboração com os Correios de Moçambique envolve todo o universo CTT, em particular a nossa rede de Lojas, que permite de forma ágil e dinâmica transformar esta ação num enorme sucesso contribuindo para ajudar as comunidades moçambicanas afetadas. Move-nos ajudar Moçambique!”

Os CTT aproveitam a forte capilaridade e proximidade às populações disponibilizando a sua vasta rede de lojas para fazer chegar os donativos dos portugueses a quem mais precisa. A recolha de donativos nas Lojas CTT decorre até 8 de abril.

Recomendadas

Greves na Soflusa: Assunção Cristas propõe “abrir a travessia do Tejo” a empresas privadas

A líder do CDS-PP revela à “TVI” que esta é a solução para o “drama que 400 mil pessoas sofrem todos os dias para conseguir atravessar o Tejo”.

Agência Europeia também está a investigar problemas nos novos aviões da TAP

Apesar de a Airbus ter inicialmente assumido que os enjoos se deviam ao facto de as aeronaves serem novas, agora as explicações já são mais completas. O fabricante já revelou que os dois problemas sentidos nos vos não estão relacionados.

A organização orientada ao cliente

Para ser orientada ao cliente, uma empresa não precisa de criar novas competências técnicas, apenas de se reorganizar para criar vantagens competitivas sustentáveis face à concorrência.
Comentários