A ‘mão de Deus’ o doping e a aposta de 100 dólares. Momentos que marcaram a carreira de Maradona

Considerado por muitos o melhor jogador da história do futebol, Diego Armando Maradona morreu aos 60 anos. Para trás fica uma carreira marcada por golos memoráveis, uma aposta perdida com Ivkovic e os problemas relacionados com a droga.

Diego Armando Maradona morreu esta quarta-feira, 25 de novembro, aos 60 anos. Para muitos o melhor jogador da história do futebol, um ‘génio’ dentro do campo, e um homem polémico fora das quatro linhas, com momentos e histórias que marcaram toda uma vida ligada ao futebol.

O ‘poker’ contra o Boca Juniors

Maradona estreou-se pelo Argentinos Juniors com apenas 15 anos, em outubro de 1976, passando cinco temporadas no clube antes de se mudar para o Boca Juniors, em 1981. Curiosamente seria contra o seu futuro clube que marcou quatro golos num triunfo por 5-3 do Argentinos Juniors.

A ‘mão de Deus’

Mundial de 1986 no México. No dia 22 de junho a Argentina defrontava a Inglaterra nos quartos-de-final. Depois da Guerra das Malvinas, onde os dois países se tinham envolvido num conflito militar, em 1982, chegava agora a hora dos dois países se defrontarem num campo de futebol. Decorria a segunda parte, com o resultado em 0-0 um mau alívio da defesa inglesa permitiu a Maradona antecipar-se ao guarda-redes Shilton para com a mão marcar o primeiro golo dos argentinos.

“Génio, génio, génio”

O pesadelo vivido pelos ingleses na tarde de 22 de junho de 1986 ainda não tinha terminado. Poucos minutos depois de Maradona ter invocado a ‘ajuda divina’ para marcar, foi a vez de Maradona fazer ‘magia’. Ainda no meio-campo argentino, o camisola 10 pegou na bola fintou toda a armada inglesa que lhe surgiu pela frente, inclusive Peter Shilton, para o esférico só parar no fundo das redes. Para a história fica a narração de Victor Hugo Morales.

A aposta perdida com Ivkovic

Em 1989 o Nápoles defrontou o Sporting Clube de Portugal para a então Taça UEFA, hoje conhecida como Liga Europa. Depois do empate a zero em Itália, o resultado repetiu-se em Alvalade e tudo foi decidido nas grandes penalidades. Maradona, que até começou o jogo no banco foi um dos escolhidos para bater da marca dos onze metros.

No tipico momento de desconcentração do guarda-redes para com o marcador do penalti, Tomislav Ivkovic disse ao astro argentino, “aposto 100 dólares em como defendo o teu remate”. Maradona aceitou a aposta, mas o guardião do Sporting levou mesmo a melhor sobre o argentino, que no final do jogo foi ao balneário ‘leonino’ pagar a aposta. Apesar de ter desperdiçado a sua grande penalidade, Maradona e o Nápoles acabaram por derrotar o Sporting por 3-4.

Doping e consumo de drogas

As drogas foram um problema na carreira de Maradona. Tudo começou com o consumo de  cocaína quando atuava no FC Barcelona, em 1982. Em 1991, foi suspenso pelo Nápoles. Maradona foi expulso do Mundial dos Estados Unidos, em 1994, após testar positivo para Efedrina. No entanto, o seu momento mais crítico foi em 2000, quando sofreu uma overdose.

A ‘batalha campal’ de Madrid

Em 1984, então ao serviço do FC Barcelona, Diego Maradona jogou no estádio do Real Madrid a final da taça do Rei frente ao Athletic Bilbao. O ambiente entre Maradona e a direção catalã já não era famosa devido aos casos extra futebol como o consumo de drogas. Contudo, nada fazia prever o que ia acontecer dentro do relvado. Depois de várias provocações por parte dos adeptos e jogadores do clube basco, Maradona perdeu a cabeça e começou uma sucessão de agressões que acabaram por envolver jogadores, jornalistas e adeptos, com 60 pessoas a ficarem feridas.

A ligação com a máfia italiana

A chegada ao Nápoles em 1984 apresentou a Maradona o mundo da máfia italiana. Tudo começou quando na conferência de imprensa da sua apresentação, um jornalista questionou se a sua transferência tinha sido financiada pela Camorra. A resposta ainda está por descobrir até hoje, mas em pouco tempo o argentino começou a criar amizades com vários membros da máfia italiana que o levou ao mundo das drogas. O argentino chegou mesmo a relatar que deu por si a jantar numa “mesa cheia de pistolas”.

A igreja Maradoniana

Diego Maradona é o único jogador a ter uma igreja em sua homenagem. A igreja Maradoniana foi criada na cidade argentina de Rosário a 30 de outubro de 1998, no dia em que o jogador celebrou 38 anos. No entanto, esta igreja acabou por se expandir por países como Espanha, Itália, Inglaterra ou Alemanha e conta com mais de um milhão de seguidores.

Água “benzida” para os jogadores brasileiros

Em 1990, a Argentina eliminou o Brasil no mundial de Itália. Perto do intervalo, a equipa médica argentina entrou em campo para assistir um jogador e o lateral esquerdo do Brasil, Branco, que em Portugal atuou no FC Porto, pediu para beber água. Mais tarde, Maradona disse que mandou o massagista dar água “benzida” com um produto para reduzir o desempenho dos brasileiros. A história foi no entanto desmentida por Claudio Caniggia, colega de seleção de Maradona, anos depois: “Não acreditem no Maradona”.

Em coma

Em 2004, Maradona deu entrada num hospital de Buenos Aires com problemas respiratórios e cardíacos, devido ao excesso de peso e precisou de ficar em coma induzido. Após ter alta, decidiu que estava na hora de emagrecer, na altura o argentino de 1,65m pesava cerca de 130kg. Em 2005 foi operado na Colômbia e perdeu mais de 50kg.

Ler mais
Recomendadas

Pode o futebol português confinar novamente? Veja o “Jogo Económico”

Nesta edição do Jogo Económico contamos com a presença de Gustavo Tato Borges, vice-presidente da Associação Nacional dos Médicos de Saúde Pública que, entre outras questões, vai esclarecer que riscos corremos, em termos de saúde pública, com a manutenção das Ligas profissionais de futebol.

Liga francesa procura novo acordo para os direitos televisivos depois da rutura com a Mediapro

O futebol francês ficou sem o seu principal parceiro televisivo, confiando que o Canal + preencheria a vaga deixada, algo que não se concretizou. A emissora, através do seu diretor executivo Maxime Saada, anunciou que não renunciou apenas à compra dos direitos que estavam nas mãos da Mediapro, mas também informou que ia devolver à LFP o acordo de transmissão de dois jogos por dia (lote 3) que atualmente transmite, em troca de 330 milhões de euros por ano.

Conta do FC Barcelona no TikTok ajudou clube a aproximar-se dos fãs

Pelo sexto ano consecutivo, o clube catalão lidera em ‘gostos’, comentários e partilhas.
Comentários