Dachser organiza o seu primeiro comboio de mercadorias da China para a Europa

Neste novo trajeto, a equipa da Dachser China coordenou todo o processo com o operador ferroviário, incluindo a recolha da mercadoria, a entrega no terminal e o despacho aduaneiro. A multinacional de logística disponibiliza o seu serviço de grupagem ‘rail’ aos seus clientes em Portugal.

A Dachser, empresa multinacional de logística de origem alemã, conseguiu organizar no final do ano passado o seu primeiro comboio de mercadorias entre a China e a Europa, precisamente na direção oeste.

“Com 50 contentores de 40 pés (FEU), o transporte chegou a Ludwigshafen, na Alemanha, no final de dezembro”, avança um comunicado da Dachser.

Segundo o documento, esta foi “uma viagem inédita da China à Europa”.

“Foi assim que, pela primeira vez na história da Dachser, um comboio de mercadorias completou a rota da China até à Alemanha. Com 50 contentores de 40 pés (FEU), o transporte chegou à cidade de Ludwigshafen, na Alemanha, no final de dezembro, tornando-se no primeiro da multinacional de logística a completar o percurso na direção ocidental. Neste novo trajeto, a equipa da Dachser China coordenou todo o processo com o operador ferroviário, incluindo a recolha da mercadoria, a entrega no terminal e o despacho aduaneiro”, esclarece o referido comunicado.

Os responsáveis da Dachser adiantam que, “posteriormente, em Ludwigshafen, a filial de Mannheim da Dachser organizou a distribuição dos contentores pela rede terrestre da empresa, em outras cidades alemãs e na Europa”.

“A pandemia e a consequente escassez da capacidade de transporte aéreo e marítimo levaram a uma maior procura do transporte ferroviário. Outro fator que impulsionou esta época alta no mercado asiático foi a proximidade do Ano Novo Chinês”, explica Vedat Serbet, Rail Services Manager EMEA [Europa, Médio Oriente e Ásia] da Dachser.

Recorde-se que, em 2020, a Dachser já tinha criado uma linha de transporte ferroviário regular para produtos químicos na direção oriental, de Frankfurt à China.

A Dachser assinala ainda que “a ‘Nova Rota da Seda’, que liga a China à Europa através de Erenhot, na Mongólia, passando pela Rússia, Bielorrússia e Polónia, assegura uma rota terrestre com condições estáveis para transportar, por exemplo, produtos químicos”.

“Simultaneamente, esta solução é uma alternativa eficiente e rentável ao transporte aéreo e marítimo”, realça o comunicado da Dachser.

Segundo Vedat Serbet, “o transporte por via ferroviária é altamente seguro em termos de programação e permite aos clientes evitar as tarifas voláteis de frete marítimo ou os cancelamentos repentinos dos voos. Por último, mas não menos importante, este meio de transporte é mais acessível que o transporte aéreo”.

Dachser oferece serviço de grupagem ‘rail’ entre a China e Portugal
A Dachser revela ainda que os seus clientes em Portugal “têm, também, acesso a este serviço ferroviário, que acaba por ser uma alternativa economicamente mais vantajosa em relação à carga aérea e mais rápida que o transporte marítimo”.

“Para importação da China, o operador de logística global disponibiliza, para além do serviço FCL (contentor completo), um serviço de grupagem ‘rail’ com consolidação própria na China. Ou seja, a Dachser agrupa a carga de vários clientes num mesmo contentor. Esta opção revela-se particularmente útil para cargas mais pequenas, que não preenchem um contentor completo. Neste caso, a mercadoria segue por ‘rail’ da China para um terminal em Hamburgo, na Alemanha, onde é desconsolidada e reexpedida para Portugal, aproveitando a rede de transporte terrestre European Logistics da empresa”, asseguram os responsáveis da Dachser.

Recorde-se que a Dachser é um dos maiores grupos privados do mundo na área da logística e transporte de mercadorias, empregando cerca de 30.609 trabalhadores em 399 filiais em 44 países.

A multinacional alemã está presente no mercado ibérico através das linhas de negócio Dachser European Logistics – dedicadas ao transporte terrestre e serviços logísticos integrais – e da Dachser Air & Sea Logistics (ASL), que é responsável pelos transportes aéreo e marítimo, oferecendo, ainda, todos os serviços de valor acrescentado inerentes a estas áreas de negócio.

“Na Europa, a Dachser posiciona-se no transporte rodoviário como uma solução única para todas as necessidades logísticas orientada para a exportação. Os seus serviços incluem armazenamento e soluções de distribuição, entregas B2C [‘business to consumer’, ou seja, da empresa para o consumidor], serviços específicos de carga parcial e completa e serviços especializados para a indústria química e ‘bricolage’, decoração e jardinagem”, conclui o comunicado desta multinacional de logística.

Ler mais
Recomendadas

PremiumImparidades de 841,2 milhões de euros tiram 300 milhões ao lucro do BCP

O BCP teve lucros de 183 milhões de euros, menos 39,4% do que em 2019, graças às provisões de 841,2 milhões de euros no contexto Covid-19. Polónia e Fundos de Restruturação impactaram nas contas.

1.886 tripulantes da TAP votaram ‘sim’. Acordo de emergência fica aprovado no SNPVAC

A esmagadora maioria dos tripulantes da TAP representados pelo Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil votou favoravelmente o “Acordo de Emergência”, virando a página num processo negocial que tem sido longo para os trabalhadores do Grupo TAP, mas que salvaguardou algumas regalias laborais.

TAP. Pilotos do SPAC aceitam “acordo de emergência”

Com uma participação massiva de 96,8% dos associados do Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC), foi votado o “Sim” ao “acordo de emergência” estabelecido com a administração da TAP, com uma maioria de 617 votos. O regime sucedâneo é afastado para os pilotos, que vêm o ordenado ser cortado em 50% acima do valor de garantia de 1.330 euros mensais.
Comentários