PremiumDas 47 empresas emitentes há 32 que adotaram o Código de Governance

Relatório de Monitorização do Código de Governo das Sociedades revela que as recomendações sobre negócios com partes relacionadas e a autoavaliação da administração estão entre as menos seguidas.

A maioria das cotadas portuguesas cumpre com o Código de Governo das Sociedades e 78% das determinações desse código foram adotadas pelas sociedades emitentes, sendo 84% no caso das empresas cotadas que integram o PSI-20. Estas são as principais conclusões do Relatório Anual de Monitorização do Código de Governo das Sociedades (CGS), apresentado ontem.

Já entre as recomendações menos seguidas estão as relacionadas com os negócios com partes relacionadas e as que se referem a avaliação anual do desempenho do órgão de administração e das suas comissões (no capítulo “Avaliação de Desempenho, Remunerações e Nomeações”). O motivo do fraco acolhimento destas recomendações consiste no facto de se tratarem de temas que vão passar a estar na lei e como tal os emitentes optaram esperar pela aprovação legislativa, explicou Pedro Maia, presidente da Comissão de Acompanhamento e Monitorização (CAM), ao Jornal Económico.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Tem prestações do crédito em atraso? Saiba o que fazer

Fique a conhecer o que fazer, quer tenha prestações em atraso, quer perceba de antemão que terá dificuldades em pagar as próximas mensalidades. Descubra ainda o que acontece no caso de entrar em incumprimento com a sua instituição financeira.

Saiba o que fazer para reabilitar as suas finanças pessoais

Nestes tempos de pandemia em que vivemos várias foram as famílias que se viram afetadas pela perda de rendimentos, desemprego e quebras laborais, que levaram a que deixassem de poder cumprir com as suas obrigações prestacionais, e entrando em incumprimento perante as instituições financeiras.

Deco aplaude alterações ao IRS dos reformados que recebem pensões com atraso

Fisco não aceitava a correção de declarações de IRS de pensionistas com rendimentos até 30 setembro de 2019. Só garantia correções após esta data. Parlamento aprovou agora propostas para a correção da declaração de rendimentos de forma retroativa, até um limite de quatro anos.
Comentários