“Declaração de guerra contra o reino”: Arábia Saudita e Qatar em crise diplomática sem fim à vista

O Qatar nega veementemente as acusações que lhe são imputadas e acusa a Arábia Saudita de estar constantemente a inventar mentiras para minar as relações no Médio Oriente.

É um novo capítulo na história da crise diplomática no Golfo Pérsico, que continua sem fim à vista. Depois de vários países muçulmanos terem fechado fronteiras e barrado as trocas de mercadorias com o Qatar, a Arábia Saudita voltou a tecer duras críticas às ações do emirado, dizendo que os incentivos efetuados à internacionalização dos locais de peregrinações são “uma declaração de guerra”.

“As tentativas do Qatar de internacionalizar os seus lugares sagrados são agressivas e uma declaração de guerra contra o reino”, afirmou o ministro das Relações Exteriores da Arábia Saudita, Adel al-Jubeir.

Por sua vez, o ministro dos Negócios Estrangeiros do Qatar, sheikh Mohammed bin Abdulrahman al-Thani, acusa a Arábia Saudita de estar constantemente a inventar mentiras para minar as relações no Médio Oriente e nega veementemente as acusações que lhe são imputadas.

“Estamos cansados ​​de responder a informações falsas e histórias inventadas do nada”, disse Sheikh Mohammed bin Abdulrahman al-Thani.

Este domingo, a Arábia Saudita, o Bahrein, os Emirados Árabes Unidos e o Egito assumiram uma maior abertura ao Qatar, ao anunciarem que estariam dispostos a iniciar um diálogo com o emirado, se Doha aceitar lutar contra o terrorismo. O quarteto deu a conhecer uma lista de exigências para reatar relações com o país, como o fecho definitivo do canal de informação multilingue al-Jazeera e de uma base militar turca, assim como um distanciamento do Irão, o grande rival da Arábia Saudita na região.

Relacionadas

Quatro Estados árabes do Golfo dispostos a dialogar com o Qatar

A Arábia Saudita, o Bahrein, os Emirados Árabes Unidos e o Egito anunciaram que estão dispostos a iniciar um diálogo com o Qatar, se Doha aceitar lutar contra o terrorismo.

EUA acusam Emirados Árabes pelo ataque informático que originou crise no Qatar

O ato de pirataria ocorreu pouco depois da visita do presidente dos EUA, Donald Trump, à Arábia Saudita.

CNN revela conteúdos dos acordos secretos entre o Qatar e os países do bloqueio

A Arábia Saudita e os seus aliados afirmam que as exigências ao Qatar servem para obrigar o país a cumprir os acordos. O governo qatari diz o contrário e fala no rompimento do espírito dos acordos.

Primeiro lote de vacas para manter reservas de leite já chegou ao Qatar

Até aqui o fornecimento de leite e produtos lácteos para o Qatar era feito pela vizinha Arábia Saudita, mas como a nova crise diplomática no Médio Oriente, as ligações aéreas e marítimas, bem como as trocas de mercadorias foram barradas.
Recomendadas

‘Make America Great Again’. Fábrica que produz boné de Trump tem 80% de latinos

O chapéu que Donald Trump disseminou pelo país é um ícone da presidência. A ‘Business Insider’ foi visitar a fábrica, onde trabalham dezenas de latinos.

Quem quer afastar Theresa May? Conservadores britânicos conspiram contra a própria primeira-ministra

Parte do partido quer a saída de Thera May mal o Brexit aconteça (em março de 2019). Um documento interno elenca os principais candidatos à sucessão, onde, em lugar de destaque, está o atual ministro para o Brexit, Dominic Raab.

Bolsonaro seria um “desastre” como presidente, diz a ‘The Economist’

Em reportagem de capa, a revista compara o candidato do PSL a Trump, nos Estados Unidos, e a Rodrigo Duterte, nas Filipinas, e diz que sua admiração por ditadores é “preocupante”.
Comentários