Declaração final de impacto ambiental do aeroporto do Montijo emitida no fim de outubro

O presidente da APA destacou que a consulta pública do EIA, a decorrer até 19 de setembro, está a ser das mais participadas, tendo até agora mais de mil contribuições diretas.

O presidente da Agência Portuguesa do Ambiente (APA), Nuno Lacasta, disse esta terça-feira no parlamento já ter “toda a informação necessária” para a avaliação de impacto ambiental do aeroporto do Montijo, cuja decisão é conhecida no final de outubro.

Numa audição na Comissão de Economia, Inovação e Obras Públicas, Nuno Lacasta esclareceu estar restringido nos comentários, ao abrigo da preservação da autonomia técnica da instituição, mas garantiu haver neste momento “toda a informação necessária e suficiente” para a avaliação do Estudo de Impacto Ambiental (EIA).

O presidente da APA destacou que a consulta pública do EIA, a decorrer até 19 de setembro, está a ser das mais participadas, tendo até agora mais de mil contribuições diretas.

Antes, na mesma ocasião, tinham sido ouvidos representantes das associações ambientalistas Quercus e Zero, que entre várias preocupações, destacaram o ruído para as populações e as fracas acessibilidades como as mais prementes.

“O estudo e seguramente a avaliação terão em conta considerações associadas a efeitos de mitigação e compensação, adiantou Nuno Lacasta, revelando existirem já medidas apresentadas nesse sentido.

“O impacto da infraestrutura aeroportuária nos habitats e nas aves” é o “core da avaliação do impacto ambiental”, acrescentou.

Quando questionado sobre se o EIA prevê a construção de uma terceira travessia sobre o Tejo, o presidente da APA explicou que o estudo foi feito no sentido de garantir que este projeto não põe em causa a eventualidade de um dia se construir outra ponte.

A ANA e o Estado assinaram em 08 de janeiro o acordo para a expansão da capacidade aeroportuária de Lisboa, com um investimento de 1,15 mil milhões de euros até 2028 para aumentar o atual aeroporto de Lisboa (Humberto Delgado) e transformar a base aérea do Montijo no novo aeroporto de Lisboa.

O EIA, em consulta pública até 19 de setembro, apontou diversas ameaças para a avifauna e efeitos negativos sobre a saúde da população por causa do ruído, o que se fará sentir sobretudo “nos recetores sensíveis localizados no concelho da Moita e Barreiro”.

As Câmaras do Barreiro e Montijo já deram parecer favorável ao EIA do novo aeroporto do Montijo, considerando que o projeto tem uma “capacidade única” para dinamizar a Margem Sul.

Na segunda-feira, o secretário-geral do PS, António Costa, advertiu que “não há plano B” para o aeroporto do Montijo e que a suspensão deste projeto coloca seriamente em causa o crescimento económico.

Ler mais
Recomendadas

High Bridge reduz posição na Pharol para 4,88%

Em comunicado divulgado pela Comissão do Mercado dos Valores Mobiliários (CMVM), a empresa liderada por Luís Palha da Silva diz que “recebeu do Banco Comercial Português a notificação de participação qualificada” de 4,88%.

Airbnb anuncia intenção de entrar em bolsa em 2020

“A comunidade de anfitriões e hóspedes da Airbnb gerou mais de 100 mil milhões de dólares (90,5 mil milhões de euros) em impacto económico direto estimado em 30 países, só em 2018”, assumiu a Airbnb em comunicado.

Google apoia portuguesa Barkyn como startup em crescimento

“Durante estes dois meses vamos estar rodeados pelos maiores peritos digitais da Google, o que terá certamente um enorme impacto na afirmação da Barkyn como startup líder do espaço pet na Europa”, garantiu um dos responsáveis da Barkyn.
Comentários