DECO alerta para necessidade de debater a literacia financeira com os mais novos

Os mais novos já fazem regularmente compras na sua escola, como por exemplo refeições e materiais escolares, isto para além das suas necessidades e desejos, mas não sabem, muitas das vezes, de onde vem o dinheiro, nem como é difícil ganhá-lo.

Se para os graúdos já é difícil gerir o próprio dinheiro, para os miúdos esta é uma tarefa quase inimaginável. Porém, e utilizando o adágio popular “é de pequenino que se torce o pepino”, as crianças devem ser incentivadas a conhecer o valor do dinheiro e a saber gerir o seu próprio dinheiro, para que, futuramente, adotem decisões mais conscientes e responsáveis, sem se envolverem em situações de risco e dificuldades financeiras.

Os mais novos já fazem regularmente compras na sua escola, como por exemplo refeições e materiais escolares, isto para além das suas necessidades e desejos, mas não sabem, muitas das vezes, de onde vem o dinheiro, nem como é difícil ganhá-lo.

Na verdade, as crianças não sabem identificar o conceito de que para ter água, luz e comida em casa é necessário que os pais ou cuidadores disponibilizem pagamentos, nem têm mesmo noção das receitas e despesas existentes no seu agregado familiar. Consequentemente adotam comportamentos e pensamentos sobre gastos ilimitados e nem apreendem a necessidade de poupar.

É importante facultar ao seu educando uma semanada ou mesada, indicando-lhe que não haverá mais dinheiro durante essa mesma semana ou mês, caso opte por gastar tudo de uma vez. Incentivo-o a poupar, indicando-lhe como poderá criar e gerir o seu dinheiro através da preparação de um orçamento (Receitas/semanada + despesas= saldo).

Esclareça com o jovem consumidor a distinção entre desejos e necessidades, tendo presente que para ganhar é preciso trabalhar. Procure salientar a importância da poupança para que os objetivos e desejos sejam concretizados. Incentivar as crianças a gerir o seu dinheiro desde cedo, promoverá a atitudes mais conscientes e responsáveis. Futuramente, os mais jovens estarão mais preparados para os desafios do consumo.

Faça três cestos de poupança para os seus filhos, um para os desejos, outro para as emergências e outro para o futuro.

A DECO promove sessões nas entidades educativas que uma das temáticas abordadas se relaciona com a literacia financeira. Visite o site do programa de educação DECOJovem, criado pela DECO.

Procure-nos em: DECO MADEIRA na Loja do Munícipe do Caniço, Edifício Jardins do Caniço loja 25, Rua Doutor Francisco Peres; 9125 – 014 Caniço; deco.madeira@deco.pt; ou contacte-nos para o número: 968 800 489.

Ler mais
Recomendadas

Parlamento aprova a suspensão das rendas e da caducidade dos contratos de arrendamento

As alterações na legislação sobre habitação autorizam que as famílias podem suspender o pagamento da renda durante o Estado de Emergência se registarem uma quebra superior a 20% dos rendimentos do agregado familiar, face aos rendimentos do mês anterior ou do período homólogo do ano anterior.

Utiliza a aplicação Houseparty? Deco desaconselha

Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor apercebeu-se de que a “partilha de dados pessoais e a segurança pode ser melhorada”. A ‘app’ nega críticas de falta de privacidade e está a oferecer cerca de 900 mil euros a quem souber como começou a “campanha difamatória”.

Desempregado ou em lay-off? Saiba como trabalhar em instituições sociais ou de saúde para ganhar um rendimento extra

Esta medida, voluntária, é uma forma dos desempregados ou dos trabalhadores em regime de lay-off poderem ganhar um rendimento extra reforçando hospitais ou lares. Desempregados com direito a uma bolsa mensal de 438,8 euros, com os trabalhadores em regime de lay-off a terem o direito a 658,2 euros mensais.
Comentários