Desigualdade de genéro no mercado de trabalho é “economicamente ineficiente”, diz o FMI

Estudo publicado pelo FMI identifica dois mecanismos sobre género com impacto nos benefícios económicos: a diversidade de género e a realocação salarial.

A maior participação das mulheres no mercado laboral beneficia ambos os sexos, devido a um aumento dos salários dos homens em resultado de uma maior força de trabalho, conclui um estudo publicado pelo Fundo Monetário Internacional (FMI).

O estudo “Economic gains from gender inclusion: new mechanisms, new evidence”, divulgado pelo FMI esta terça-feira, dia 9, reconhece que “ainda que tenha existido progresso no aumento da participação feminina na força de trabalho (FLFP) nos últimos 20 anos”, o ritmo tem sido desigual e permanecem “grandes lacunas”.

Os autores Ostry, Alvarez, Espinoza e Papageorgiou consideram que uma diminuição da desigualdade de género na participação no mercado de trabalho “provavelmente irá gerar grandes benefícios económicos”.

Identificam assim dois mecanismos: a diversidade de género e a realocação salarial. No primeiro, sublinham que o beneficio da entrada das mulheres num ambiente laboral vai além do benefício resultante de ter mais trabalhadores.

“Essa hipótese encontra suporte nos dados – dados de macro entre países e dados no ao nível das empresas. Este artigo conclui que o trabalho masculino e feminino são complementares na produção”, explicam os autores, acrescentando que “os resultados também sugerem que os modelos padrão, que não diferenciam os géneros nas suas análises, subestimam o impacto favorável da inclusão de género no crescimento e atribuem erroneamente à tecnologia uma parte do crescimento que é realmente causado pela participação das mulheres”.

Relativamente à realocação setorial, identificam que “à medida que as famílias ficam mais ricas durante o processo de desenvolvimento económico, a procura por serviços aumenta e a mão-de-obra é realocada para o setor em crescimento”.

“Isto torna a discriminação contra as mulheres no mercado laboral não apenas economicamente ineficiente, mas também diretamente cara para os homens”, defendem.

Ler mais
Recomendadas

Vítor Constâncio esteve na reunião que formalizou não-oposição a Berardo

O jornal Público avança que o ex-governador do BdP teve oportunidade formal de se opor à subida de participação de Joe Berardo no BCP, operação financiada através de um crédito de 350 milhões de euros da Caixa Geral de Depósitos.

Trabalhadores do Dia Portugal estão hoje em greve

Os trabalhadores das lojas e armazéns do Dia Portugal – Minipreço/Clarel estão hoje em greve para exigir aumentos salariais para todos os trabalhadores e horários de trabalho regulados.

Assembleia Municipal do Porto aprova criação de “salas de chuto” na cidade

A Assembleia Municipal do Porto aprovou esta segunda-feira oito propostas de recomendação que defendem a instalação de salas de consumo assistido na cidade, como medida de redução dos riscos e minimização dos danos do consumo de drogas.
Comentários