Dijsselbloem ainda deu luta mas Georgieva levou a melhor. Como foram os bastidores da votação para o FMI

Ex-presidente do Eurogrupo contava com o apoio de alemães, holandeses e nórdicos mas a França foi mais forte e impôs a búlgara, antiga líder do Banco Mundial.

Jeroen Dijsselbloem perfilou-se desde o primeiro momento como um dos favoritos a candidato europeu à presidência do FMI por contar com o apoio da Alemanha, Holanda e países nórdicos mas a França terá ‘batido o pé’ e cerrou fileiras para abrir caminho à nomeação de Georgieva.

Uma possível mudança da regra de votação ainda pespetivou uma ligeira vantagem ao antigo presidente do Eurogrupo e ex-ministro das Finanças mas a vantagem de 10% de Georgieva nas anteriores votações parecia impossibilitar a mudança de curso.

De acordo com o Expansiòn, fontes diplomáticas assegura que o ministro das Finanças holandês “não impugnou” o resultado mas terá pedido para consultar o primeiro-ministro da Holanda, Mark Rutte.

Idade de Georvieva não será entrave

O maior obstáculo para a búlgara parecia ser a idade já que as normas do FMI proíbem a designação de um candidato com 65 anos cumpridos para a presidência do FMI, algo que vai acontecer a Georgieva no próximo dia 13 de agosto.

No entanto, o secretário do Tesouro norte-americano, Steve Mnuchin indicou que irá apoiar a mudança de normas necessárias para que o limite de idade não seja um problema para a búlgara, esclareceram fontes europeus. Georgieva é uma candidata que agrada aos EUA.

 

Relacionadas

“Desejo-lhe o maior sucesso”. Centeno dá os parabéns a Georgieva

“Congratulo Kristalina Georgieva pelo resultado nas votações de hoje. Desejo-lhe o maior sucesso”, escreveu Jeroen Dijsselbloem, antigo presidente do Eurogrupo na sua conta na rede social Twitter, assumindo assim a derrota na disputa pela designação como candidato europeu à sucessão da francesa Christine Lagarde.

Kristalina Georgieva eleita candidata europeia ao FMI

Kristalina Ivanova Georgieva venceu a concorrência do holandês Jeron Dijsselbloem. A antiga vice-presidente da Comissão Europeia conquistou uma maioria simples com 56% dos votos.

Quem são os dois finalistas na corrida à liderança do FMI: Dijsselbloem vs Georgieva

O holandês Jeroen Dijsselbloem e a búlgara Kristalina Georgieva são os últimos nomes na corrida para a designação do candidato europeu à liderança do Fundo Monetário Internacional. Conheça o perfil dos dois candidatos.
Recomendadas

PS insiste que negociações do Orçamento do Estado para 2022 devem continuar na especialidade

José Luís Carneiro reforçou a intenção do PS em “apreciar as propostas” dos parceiros, mas com o propósito de “encontrar os pontos de equilíbrio e de bom senso”, na última das audiências que o Presidente da República manteve com os partidos nesta sexta-feira.

Catarina Martins sinaliza que “só não há um OE se o Governo não quiser”

A líder bloquista exemplificou algumas das áreas nas quais quer ver avanços no documento de OE, como o SNS ou as “longas carreiras contributivas”, esclarecendo ainda que “não se prende por questões formais”, pretendendo apenas “redações exatas das leis”.
Nuno Melo e Francisco

Nuno Melo abre e Rodrigues dos Santos encerra escola de quadros da Juventude Popular

Atual líder centrista e o eurodeputado que pretende ser o próximo presidente do partido não se irão cruzar no hotel de Portimão onde decorre uma ação de formação que conta com convidados como o social-democrata Miguel Pinto Luz e o socialista Álvaro Beleza, presidente da SEDES.
Comentários