“Direita extremista quer ressuscitar passado de triste memória”. Ferro Rodrigues repudia ameaças a deputadas

O presidente do Parlamento, Eduardo Ferro Rodrigues, volta a alertar que a direita populista e extremista está a tentar “ressuscitar” uma “agenda antidemocrática” com estes ataques e condena quaisquer “atos racistas e fomentadores do ódio”.

O presidente do Parlamento, Eduardo Ferro Rodrigues, manifestou esta quinta-feira “um enorme sentimento de repúdio” face às ameaças dirigidas a três deputadas da Assembleia da República. Eduardo Ferro Rodrigues volta a alertar que a direita populista e extremista está a tentar “ressuscitar” uma “agenda antidemocrática” com estes ataques e condena quaisquer “atos racistas e fomentadores do ódio”.

“A tentativa de intimidar deputados e ativistas políticos reveste-se de gravidade suficiente para que, enquanto Presidente da Assembleia da República, não possa – nem queira – deixar de a condenar, manifestando também todo o meu apoio aos visados”, indica Eduardo Ferro Rodrigues, num comunicado emitido após ter sido noticiado que a Policia Judiciária (PJ) está a investigar as ameaças dirigidas a três deputadas e à SOS Racismo.

As ameaças foram enviadas por email para as duas deputadas do Bloco de Esquerda (BE) Beatriz Gomes Dias e Mariana Mortágua e para a deputada não-inscrita Joacine Katar Moreira. No email enviado pela denominada “Nova Ordem de Avis – Resistência Nacional”, o remetente insta as deputadas a abandonar as suas funções políticas e a deixar o país em 48 horas, sob pena de serem tomadas medidas “contra estes dirigentes e os seus familiares”.

Ao que se sabe, o referido email terá sido enviado também a Mamadou Ba, dirigente da associação SOS Racismo, e a mais seis membros da associação.

Eduardo Ferro Rodrigues diz que “foi com um enorme sentimento de repúdio” que tomou conhecimento da ameaça dirigida às deputadas e membros da organização antirracista “por parte de um grupúsculo de extrema-direita”. O presidente do Parlamento sublinha ainda que estes atos podem “constituir um crime, situação que, conforme é público, já está a ser investigada por parte das autoridades judiciárias“.

“Como tenho vindo a alertar, a direita populista e extremista está a tentar, em muitas democracias consolidadas, ressuscitar do passado de triste memória uma agenda antidemocrática. Este tipo de atos racistas e fomentadores do ódio é ilustrativo disto mesmo, merecendo, por isso, a mais veemente condenação de todos os democratas e da Assembleia da República”, frisa o presidente da Assembleia da República.

Eduardo Ferro Rodrigues manifestou ainda a sua “total solidariedade e disponibilidade” para com as deputadas e demais visados e afirmou que tem “inteira confiança nas deputadas e nos deputados do nosso Parlamento, guardiões da nossa Democracia, para saber que nunca deixarão os seus atos e as suas opiniões serem condicionadas por vãs tentativas de intimidação por grupúsculos inimigos dos Direitos e das Liberdades Fundamentais”.

Ler mais
Recomendadas

Parlamento discute hoje e vota referendo sobre a eutanásia na sexta-feira

O parlamento discute hoje e vota na sexta-feira uma proposta de referendo sobre a eutanásia, que divide direita e esquerda, mas em que há um bloco maioritário para a “chumbar”, do PS, BE, PCP, PAN e PEV.

OE2021: Federação sindical pediu alterações ao BE e ao PS

A Federação de Sindicatos da Administração Pública (FESAP) pediu hoje aos deputados do Bloco de Esquerda e do Partido Socialista que proponham alterações ao Orçamento do Estado (OE) para 2021 que respondam às reivindicações dos funcionários públicos.

Marcelo promulga diploma que reduz debates europeus na AR para dois por semestre

O Presidente da República promulgou hoje o diploma aprovado por PS e PSD que reduz os debates europeus no parlamento para dois por semestre, depois de ter vetado uma primeira versão que previa apenas um por semestre.
Comentários