Dívida pública caiu para 118,2% em 2019, abaixo das estimativas do Governo

A dívida pública na ótica de Maastricht prossegue uma trajetória descendente, já que diminuiu face aos 122,2%, registados em 2018. Fixou-se ainda abaixo dos 118,9% esperados pelo Governo.

Cristina Bernardo

O peso da dívida pública caiu para 118,2% em 2019, abaixo dos 118,9% projetados no cenário macroeconómico do Orçamento do Estado para 2020. Os dados foram divulgados esta quinta-feira pelo Banco de Portugal (BdP), no Boletim Estatístico.

A dívida pública na ótica de Maastricht continua assim a trajetória descendente, já que diminuiu face aos 122,2%, registados em 2018.

Em termos nominais, a dívida pública aumentou 600 milhões de euros no ano passado face a 2018, fixando-se em 249.740 milhões de euros, segundo dados do BdP, divulgados a 3 de fevereiro. Apesar do rácio da dívida pública ter vindo a diminuir, em termos nominais falhou a meta de queda esperada pelo ministro das Finanças, Mário Centeno, já em 2019.

No Parlamento, a 10 de janeiro, Mário Centeno, mostrou-se confiante que a redução do rácio da dívida pública face ao Produto Interno Bruto (PIB) se tenha estendido também ao valor nominal em 2019. Depois de realçar a trajetória de redução do rácio nos últimos anos, admitiu “a possibilidade de a dívida pública já ter diminuído em termos nomiais”, em 2019, salientando estar “à espera de uma boa notícia”.

Depois da divulgação na última sexta-feira da estimativa rápida do Instituto Nacional de Estatística sobre o crescimento da economia, o regulador atualizou o rácio da dívida pública face ao PIB, revelando que se fixou abaixo do esperado pelo Governo.

No OE2020, o Governo projeta ainda que o peso da dívida pública deverá descer para 116,2% este ano, de 118,9% em 2019.

[Atualizado às 11h21]

Ler mais

Recomendadas

Economia britânica recua 0,1% em fevereiro

A contração do PIB do Reino Unido, em parte devido ao setor da construção, surpreendeu os analistas britânicos, que esperavam inclusivamente um crescimento no segundo mês do ano.

Prazo para pedir apoio para dar assistência aos filhos e netos termina hoje

Os trabalhadores conta de outrem, se não conseguirem exercer as suas funções em teletrabalho, têm direito a um apoio financeiro excecional correspondente a 2/3 da sua remuneração base.

Eurogrupo retoma hoje reunião para tentar acordo sobre resposta comum

Esta reunião, considerada decisiva e conduzida por videoconferência desde Lisboa pelo ministro Mário Centeno, teve início na terça-feira à tarde e foi suspensa ao início da manhã de quarta-feira, após 16 horas de discussões.
Comentários