Dívida pública portuguesa vai atingir novo recorde no final de 2020

O Governo prevê que a dívida pública atinja os 268 mil milhões de euros no final deste ano, pesando 133% do PIB. No espaço de um ano, a dívida pública cresceu em quase 20 mil milhões.

A dívida pública portuguesa vai atingir os 268 mil milhões no final deste ano, segundo uma previsão do Governo divulgada hoje pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

A dívida bruta consolidada das administrações públicas atingiu os 249 mil milhões de euros no final de 2019, dados provisórios.

No espaço de um ano, a dívida deverá assim subir quase 20 mil milhões de euros.

Em julho, o endividamento do Estado atingiu o valor mais alto de sempre, 264,67 mil milhões de euros, ultrapassando o recorde anterior atingido em maio.

Face à percentagem do PIB, a dívida nacional vai subir dos 117,2% em 2019 para os 133,8% no final de 2020, estima o INE.

Além do crescimento da dívida, Portugal também vai produzir menos riqueza este ano: o PIB de 213 mil milhões de euros em 2019 vai recuar para 200 mil milhões este ano.

Segundo explica o INE, as estimativas da dívida bruta “são da responsabilidade do Ministério das Finanças, tendo como base o cenário macroeconómico e orçamental subjacente ao Orçamento do Estado Suplementar para 2020, aprovado pela Assembleia da República”.

De acordo com o INE, a dívida bruta apresentada neste relatório, “de acordo com a legislação europeia”, não inclui a dívida comercial, a dívida das empresas públicas que não integram o setor das administrações públicas e a dívida dos municípios e freguesias localizados nos territórios das
regiões autónomas é registada no subsetor da Administração Local.

Ler mais

Relacionadas

INE revê excedente orçamental de 0,2% para 0,1% em 2019

O INE revela que o excedente orçamental foi afinal de 0,1% do PIB no ano passado, tendo ainda revisto o défice de 2018 para 0,3%.
joão_leão_tomada_posse_1

Pandemia atira Portugal para défice orçamental de 5,4% no primeiro semestre

O défice orçamental em contabilidade nacional, a que conta para Bruxelas, atingiu os 5,4% do PIB nos primeiros seis meses do ano. Segundo trimestre do ano foi especialmente penalizador com o défice a disparar para 10,5% do PIB. Entre abril e junho, a despesa com subsídios pagos disparou 470,2% face ao período homólogo.
Recomendadas

Presidenciais: Mais de 80% dos inscritos para voto antecipado votaram no domingo

No total, estavam inscritos 246.880 eleitores para o voto antecipado que decorreu no domingo, uma semana antes das eleições para o Presidente da República.

Supermercados impedidos de vender livros, roupa ou brinquedos a partir de hoje

Este tipo de produtos pode ser vendido através de comércio eletrónico com entrega ao domicílio, ou pelos estabelecimentos que mantenham as portas fechadas, mas que vendam ao postigo ou através de sistemas tipo ‘click and collect’. A CIP já veio a público criticar esta decisão por considerar que “vem causar maiores danos económicos às empresas portuguesas”.

Candidaturas às linhas de apoio para empresas exportadoras da indústria e turismo e de montagem de eventos abrem hoje

Banco Português de Fomento abre esta segunda-feira as candidaturas para as novas linhas de crédito. A linha de apoio para as empresas exportadoras da indústria e do turismo tem uma dotação global de 1.050 milhões de euros, enquanto a linha de apoio às empresas de montagem de eventos tem uma dotação de 50 milhões de euros.
Comentários