Divórcio do casal Gates pode levar Melinda a ser a mulher mais rica do mundo

Os dados da “Forbes” mostram que, caso a fortuna seja dividida em partes equitativas, Melinda terá um património avaliado em 65,25 mil milhões de dólares (54,32 mil milhões de euros).

U.S. President Barack Obama (R) presents the Presidential Medal of Freedom to Melinda and Bill Gates during a ceremony in the White House East Room in Washington, U.S., November 22, 2016. REUTERS/Carlos Barria

O anúncio da separação de Bill e Melinda Gates apanhou o mundo de surpresa. Após 27 anos de casamento, e segundo um documento do tribunal a que o tabloide “TMZ” teve acesso, Melinda Gates pediu o divórcio ao quarto homem mais rico do mundo mas não terá pedido “apoio conjugal”.

O casal multimilionário responsável pela maior fundação privada do mundo anunciaram o divórcio na segunda-feira, 3 de maio, na rede social Twitter, assumindo que vão continuar a estar juntos em prol da Fundação Bill e Melinda Gates, na qual atuam como co-presidentes.

Sabe-se agora que o casal não assinou um acordo pré-nupcial quando se casaram em 1994, mas que foi entregue um “acordo de separação”. De recordar que Bill e Melinda Gates trocaram alianças um ano depois de começarem a namorar, quando o filantropo já tinha fundado a Microsoft, empresa para a qual Melinda entrou como product manager. 

Depois do divórcio de Jeff Bezos e MacKenzie Scott, a imprensa internacional estima que este será um dos maiores acordos de divórcio da história no mundo dos multimilionários. De acordo com a “Bloomberg”, Bill Gates tem um património total avaliado em 146 mil milhões de dólares (121,5 mil milhões de euros), valor que diminui para os 130,5 mil milhões de dólares (108,6 mil milhões de euros) quando avaliado pela “Forbes”.

Apesar de atualmente constar na lista de bilionários como o quarto mais rico do mundo, o fundador da Microsoft alcançou o primeiro lugar em 1995, um ano após se casar com Melinda. O título chegou ainda 20 anos depois do milionário fundar a empresa de tecnologia.

Recordar que Gates perdeu o título de homem mais rico do mundo para Bezos depois da valorização vertiginosa das ações da Amazon em bolsa, e também após o filantropo e co-presidente da Fundação Gates ter doado milhões de dólares para causas filantrópicas mundiais.

De acordo com a “Forbes”, o estado de Washington, onde a família reside, é um estado de propriedade da comunidade, significando que os ativos adquiridos por qualquer parte do casal durante o casamento são considerados bem comuns e divididos igualmente pelas duas metades quando não existe um acordo pré-nupcial.

Os dados da “Forbes” mostram que, caso a fortuna seja dividida em partes equitativas, Melinda terá um património avaliado em 65,25 mil milhões de dólares (54,32 mil milhões de euros), mais do que o património de 59,8 mil milhões de dólares (49,78 mil milhões de euros) de MacKenzie Scott, ex-mulher de Bezos.

A Fundação Gates, fundada em 2000, foca-se em temas como a saúde pública, educação e alterações climáticas por todo o mundo, tendo já entregue vários milhões de dólares a instituições e investido também em pesquisas. A fundação do agora ex-casal auferia em 2019 de um património liquido de 43 mil milhões de dólares (35,79 mil milhões de euros), sendo que até 2018 o casal injetou mais de 36 mil milhões de dólares (30 mil milhões de euros) na entidade para projetos de filantropia.

Ler mais
Relacionadas

“Decidimos terminar o nosso casamento”. Bill e Melinda Gates divorciam-se

O anuncio da separação foi feito através do Twitter. O casal estava junto há 27 anos.
Recomendadas

Cabo Verde reúne Parlamento a 19 de maio para iniciar legislatura

A X legislatura inicia-se com a realização da sessão constitutiva, conforme aviso tornado público pela secretaria-geral da Assembleia Nacional, na sequência das eleições legislativas de 18 de abril.

Presidente de Angola aprova acordo de financiamento no valor de 582 milhões de euros

João Lourenço refere que o acordo foi aprovado ao abrigo do Projeto de Estabilização Macroeconómica e Financiamento da Política de Desenvolvimento Inclusivo e Diversificação Económica de Angola.

Espanha regista quebra de 75% no número de turistas estrangeiros em março

Os confinamentos vividos no segundo país mais visitado do mundo antes da pandemia levaram a quebras assinaláveis na chegada de turistas estrangeiros ao país. O principal mercado emissor, o Reino Unido, quebrou 97,2% nos primeiros três meses do ano, sendo suplantado em volume de visitantes por França, Alemanha e até Portugal.
Comentários