Dombrovskis: “É viável que Portugal possa ser dos primeiros países a ter o plano de recuperação aprovado”

Em entrevista ao Jornal Económico, o vice-presidente da Comissão Europeia diz que o draft do Plano de Recuperação português “vai na direcção certa”, realçando que o executivo comunitário continua a trabalhar com o Governo na componente das reformas do plano.

Valdis Dombrovskis, vice-presidente da Comissão Europeia, em entrevista ao Jornal Económico, diz que o draft do Plano de Recuperação entregue por Portugal a Bruxelas vai na direção certa e poderá ser dos primeiros a ser aprovado, dando nota de que o executivo comunitário continua “a colaborar” com o Governo português sobre a componente das reformas previstas no draft.

“O que estamos a ver vai na direcção certa e é viável que Portugal possa estar entre os primeiros países cujo plano vai ser aprovado”, afirma o vice-presidente executivo da Comissão Europeia, responsável pela pasta Uma Economia ao Serviço das Pessoas, à margem da visita a Lisboa com a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, e outros sete membros do Colégio de Comissários.

Ao JE, o vice-presidente da Comissão Europeia explica que não pode fazer comentários detalhados sobre o plano, “porque estamos a negociar com as autoridades portuguesas na preparação do plano”, mas diz que “Portugal está entre os países que trabalham muito no plano e quer estar entre os primeiros a obter a aprovação”.

“Por isso estamos muito envolvidos. Diria que o projeto em grande parte está alinhado com as prioridades estabelecidas na avaliação do Mecanismo de Recuperação e Resiliência”, salienta, dando nota de que “as metas verdes e digitais representam 37% e 20% e também estão vinculadas ao semestre europeu e às recomendações específicas por país”.

Valdis Dombrovskis realça numa avaliação geral dos drafts dos planos de recuperação já entregues, que por parte de muitos Estados-Membros “as partes de investimento dos planos já se encontram melhor desenvolvidas do que os planos de reforma, pelo que continuamos a colaborar com as autoridades portuguesas também nesta parte da reforma”.

Portugal entregou em outubro o draft do Plano de Recuperação a Bruxelas, mas a versão final apenas terá que ser entregue em abril.

Em dezembro, depois de vários impasses os líderes europeus chegaram finalmente a acordo sobre o Orçamento de longo prazo da União Europeia e do Fundo de Recuperação, com as autoridades europeias a aguardar apenas a ratificação pelos parlamentos nacionais dos Estados-membros da decisão sobre recursos próprios, que irá permitir à Comissão Europeia ir aos mercados para financiar o Plano de Recuperação.

Ler mais

Relacionadas

Dombrovskis: “Portugal é bom exemplo de um país que aproveitou os bons momentos da economia para baixar o nível da dívida”

O vice-presidente da Comissão Europeia elogia, em entrevista ao Jornal Económico, a trajetória de redução do rácio da dívida pública face ao PIB feita por Portugal nos últimos anos e sublinha a importância dos planos de recuperação. “É difícil para os países saírem desta crise sozinhos”, vinca.

Confinamento afeta a economia portuguesa, mas a vacina pode levar a “melhores desenvolvimentos mais tarde no ano”, diz Dombrovskis ao JE

Em entrevista ao Jornal Económico, o vice-presidente da Comissão Europeia diz que a implementação da vacinação que está a decorrer nos Estados-membros “dá esperanças” de “uma perspetiva económica melhor”.
Recomendadas

Covid-19: PCP quer apoios a 100% para pais “imediatamante e com efeitos retroativos”

Intervindo numa sessão pública, em Lisboa, Jerónimo de Sousa lamentou que “PS, PSD e CDS-PP” tenham rejeitado na Assembleia da República a proposta do PCP que previa “o pagamento do salário a 100% a quem está em assistência a filhos até aos 16 anos, enquanto as escolas se mantiverem encerradas”, devido à pandemia de Covid-19.

PremiumEconomistas alertam para risco de crise financeira

O volume moratórias de crédito quando comparado com o resto da Europa deixa antecipar fortes impactos na banca no pós-Covid.

PremiumUnião Europeia não pode continuar “em velocidade lenta”

O painel do Observatório “A Recuperação Económica depois da Covid-19” sobre ‘O papel da Europa e os desafios para o futuro no contexto global’ foi unânime em considerar que a UE deu, no contexto de combate à pandemia, mais uma prova da sua endémica lentidão.
Comentários