Dombrovskis: “Portugal é bom exemplo de um país que aproveitou os bons momentos da economia para baixar o nível da dívida”

O vice-presidente da Comissão Europeia elogia, em entrevista ao Jornal Económico, a trajetória de redução do rácio da dívida pública face ao PIB feita por Portugal nos últimos anos e sublinha a importância dos planos de recuperação. “É difícil para os países saírem desta crise sozinhos”, vinca.

Valdis Dombrovskis, vice-presidente da Comissão Europeia, considera que Portugal é um “bom exemplo” em galgar o bom momento económico dos últimos anos para diminuir o rácio da dívida pública face ao Produto Interno Bruto (PIB), ainda que a pandemia tenha levado a uma nova subida.

“Portugal é exatamente um bom exemplo de um país que aproveitou os bons momentos da economia para baixar o nível da dívida pública.Foi de cerca de 130% do PIB após a crise económica financeira global e foi diminuindo para abaixo 110% do PIB. Agora voltou a 130%, mas permitiu dar margem de manobra. E sabemos que nem todos os países com dívidas elevadas realmente aproveitam os bons tempos económicos para reduzir o nível da dívida”, afirmou o vice-presidente executivo da Comissão Europeia, responsável pela pasta Uma Economia ao Serviço das Pessoas, à margem da visita a Lisboa com a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, e outros sete membros do Colégio de Comissário, em entrevista ao Jornal Económico.

O responsável do executivo comunitário salientou que “isso é uma coisa que distingue Portugal nessa situação particular”.

Questionado sobre se Portugal tinha espaço para mais apoios de estímulos orçamentais sem comprometer o futuro das finanças públicas, tendo o terceiro maior rácio de dívida da zona euro, o vice-presidente da Comissão Europeia sublinhou que “essa é exatamente a lógica por trás do plano de recuperação económico europeu”.

“O plano basicamente reconhece que há limitações em vários Estados-membros da União Europeia devido ao alto nível de endividamento, e é maior nos países do sul e do leste, devido aos baixos níveis de desenvolvimento económico. É difícil para os países saírem desta crise sozinhos. Portanto, o plano de recuperação económica europeu e o Next Generation EU tem uma componente substancial de subsídios que permite aos Estados-membros estimular a economia sem agravar a dívida”, vincou.

Ainda assim, admitiu que equilibrar o estímulo orçamental à economia e a sustentabilidade orçamental de longo prazo é uma questão que existe. “Por isso, a respeito dos orçamentos dos Estados-Membros, enfatizámos que as medidas de estímulo necessárias devem ser temporárias e direcionadas e não se tornarem um encargo permanente ​​no défice orçamental”, disse.

“Neste momento, o nosso conselho a todos os Estados-membros é para que tomem as medidas necessárias para estabilizar a economia, para apoiar as empresas, para apoiar os trabalhadores. À medida que perseveramos a capacidade das nossas economias, o potencial de nossas economias, mais rapidamente a  economia será capaz de recuperar após o pandemia. É exatamente essa a nossa recomendação para os Estados-membros atualmente”, realçou.

Ler mais

Relacionadas

Confinamento afeta a economia portuguesa, mas a vacina pode levar a “melhores desenvolvimentos mais tarde no ano”, diz Dombrovskis ao JE

Em entrevista ao Jornal Económico, o vice-presidente da Comissão Europeia diz que a implementação da vacinação que está a decorrer nos Estados-membros “dá esperanças” de “uma perspetiva económica melhor”.

Dombrovskis: “É viável que Portugal possa ser dos primeiros países a ter o plano de recuperação aprovado”

Em entrevista ao Jornal Económico, o vice-presidente da Comissão Europeia diz que o draft do Plano de Recuperação português “vai na direcção certa”, realçando que o executivo comunitário continua a trabalhar com o Governo na componente das reformas do plano.
Recomendadas

Portugal promove “soluções para impacto assimétrico da crise”, garante ministro das Finanças

“Chegámos a um acordo sem precedentes que permite a emissão de dívida europeia em larga escala para financiar a recuperação economia europeia através dos programas de recuperação europeus”, referiu João Leão depois da reunião do G20.

Lei que acelera levantamento das penhoras entra em vigor amanhã

Na origem desta lei, publicada esta sexta-feira, está uma proposta do Governo – alvo de várias alterações durante a discussão na especialidade, no parlamento – de alteração a diversos códigos fiscais.

Nazaré da Costa Cabral: “Existe uma grande incerteza quanto ao desempenho da economia em 2021”

A presidente do Conselho das Finanças Públicas, Nazaré da Costa Cabral, diz que a situação da economia portuguesa é “complexa”, estando dependente da evolução da pandemia e da capacidade de recuperar da “má imagem” internacional para voltar a conquistar turistas.
Comentários