Dona do Minipreço com subida de 7,6% nas vendas em Portugal no quarto trimestre

No total, o grupo DIA registou em Portugal vendas líquidas de 157,7 milhões de euros no último trimestre de 2020, face aos 146,6 milhões verificados no mesmo período do ano anterior.

O grupo DIA, dona do Minipreço, registou em Portugal um crescimento de 7,6% em vendas líquidas no quarto trimestre de 2020, face ao mesmo período homólogo de 2019, segundo o comunicado divulgado pela empresa esta quinta-feira, 14 de janeiro.

No total, o grupo DIA registou no nosso país vendas líquidas de 157,7 milhões de euros no último trimestre de 2020, face aos 146,6 milhões verificados no mesmo período do ano anterior.

A nível global, o grupo DIA verificou perdas de volume de 5,6%, passando dos 1,7 mil milhões de euros de 2019, para os 1,6 milhões de euros no ano passado. Em termos do número de lojas, a empresa registou uma quebra de 6,9% passando das 6.626 lojas do quarto trimestre de 2019, para as 6.169 em 2020.

Nas vendas comparáveis (like for like) a empresa do sector de distribuição alimentar apresentou um crescimento de 7%. Em Portugal, o serviço online cobre atualmente as cidades de Lisboa e Porto e o serviço de entregas rápidas já foi implementado em 100 lojas, principalmente através de alianças em todas as regiões em que o grupo DIA está presente.

“Espanha e Portugal mantiveram uma trajetória positiva das vendas líquidas, enquanto que a racionalização estratégica da nossa rede de lojas, com menos 7% de estabelecimentos no ano e o efeito de divisa no Brasil e Argentina, afetaram o desempenho geral das vendas líquidas do nosso grupo”, refere Stephan DuCharme, presidente executivo do grupo DIA.

Recomendadas

Pandemia levou a tombo de 14,8% na atividade económica regional entre março e novembro de 2020

Dados do INE, revelados esta sexta-feira, revelaram que no conjunto das regiões portuguesas, a atividade económica tombaram significativamente. Algarve Madeira e Área Metropolitana de Lisbao viram a atividade económica cair mais do que a média nacional. Maiores tombos verificaram-se em atividades de alojamento e atividades artísticas, desportivas e recreativas.

Barómetro ACEGE: Apoios à TAP e empresas afetadas pela pandemia preocupam empresários

Respostas dos empresários e gestores associados do barómetro de janeiro da ACEGE, numa parceria com o Jornal Económico, a Rádio Renascença e a Netsonda, revelam preocupação com efeitos da Covid-19. Mas também sinais de otimismo quanto à evolução das suas empresas e à manutenção dos postos de trabalho.

Exportações de bens da zona euro cresceram para 197 mil milhões de euros em novembro

A zona euro registou um excedente de 25,8 mil milhões de euros em novembro de 2020 no comércio de bens com o resto do mundo. Exportações de bens começam a dar sinais de “um retorno aos níveis pré-Covid”.
Comentários