Donos terão de colocar chips nos gatos até 2021. Quem não o fizer arrisca multa superior a 3.700 euros

A lei diz respeito não apenas aos gatos domésticos mas também àqueles que estejam em lojas ou associações.

Em 2021, todos os gatos terão que ter implantado um “chip” de identificação, como o que já hoje é aplicado em cães. As multas atingem os 3.740 euros para particulares e 44.890 euros para empresas.

O diploma do Governo que estabelece as regras de identificação dos animais de companhia foi promulgado na terça-feira, 18 de junho, pelo Presidente da República Marcelo Rebelo de Sousa. Este diploma cria assim o Sistema de Informação de Animais de Companhia.

A notícia avançada pelo Publico, esta terça-feira, informa que o projeto de decreto-lei foi anunciado pelo Ministério da Agricultura e explica que os gatos que tenham nascido até este sábado terão de ter um chip até 2021. No caso dos gatos nascidos depois deste sábado, o prazo para colocar um chip é de apenas três meses após o nascimento. A lei diz respeito não apenas aos gatos domésticos mas também àqueles que estejam em lojas ou associações.

Quem não o fizer habilita-se a ser multado. O valor mínimo não deverá ultrapassar os 50 euros, mas o valor máximo chega aos 3.740 euros para as pessoas singulares e vai até aos 44.890 para pessoas coletivas (empresas ou associações).

O “microchip” de identificação é composto por um código de 15 dígitos que possibilita saber o nome do animal e dos donos, caso ele se perca. O equipamento também dá acesso a outros dados, como endereço e contato dos donos. O dispositivo é introduzido por um veterinário sob a pele do pescoço do animal com uma injeção. No caso dos cães, este chip já é obrigatório desde 2008.

Recomendadas

O que é o Provedor de Justiça e quais são as suas funções?

Em Portugal o Provedor de Justiça desempenha também funções como Mecanismo Nacional de Prevenção, devendo assegurar que o nosso País cumpre a Convenção e os Protocolos das Nações Unidas contra a Tortura e outras Penas ou Tratamentos Cruéis, Desumanos ou Degradantes.

Como gerir as suas poupanças num ambiente de taxas de juro zero? Veja o “Economize”

Acompanhe o “Economize” na plataforma multimédia JE TV, através do site e das redes sociais do Jornal Económico.

Saiba como a consolidação de crédito pode ajudar no fim das moratórias

O crédito consolidado é um novo crédito, cujo destino é liquidar os restantes créditos, tendo acesso a condições mais vantajosas. Tem como principal objetivo melhorar as nossas condições financeiras. Esta é uma solução que pode aliviar os encargos financeiros imediatos. Contudo, para que esta solução esteja à sua disposição não pode estar numa situação de incumprimento.
Comentários