DS Smith tem de vender unidade de Ovar para concretizar OPA à Europac

Esta foi uma das condições para a Comissão Europeia aprovar a OPA lançada pela DS Smith.

A DS Smith terá de alienar a unidade fabril da Europac em Ovar para poder concretizar a OPA – Oferta Pública de Aquisição que tem em curso sobre a própria Europac.

Essa é uma das condições que a Bruxelas impôs para autorizar a referida OPA, de acordo com um comunicado hoje divulgado pelo RAPID – Representação da Comissão Europeia em Portugal.

Com efeito, a Comissão Europeia autorizou a aquisição da Europac pela DS Smith, sujeita a condições, entre as quais a venda da unidade da Europac em Ovar, proposta pela DS Smith.

“A Comissão Europeia aprovou, ao abrigo do Regulamento das Concentrações da UE, a aquisição da Europac pela DS Smith, ambas produtoras de papel e produtos de embalagem”, anuncia o comunicado do RAPID.

Mas, para tal, Bruxelas exigiu remédios à DS Smith. “A investigação da Comissão centrou-se em produtos de embalagem, chapas onduladas e caixas de cartão canelado. A Comissão receava que a aquisição proposta reduzisse significativamente o nível de concorrência no mercado das chapas onduladas e, consequentemente, das caixas de cartão canelado em Portugal”, esclarece o referido comunicado.

“Para dar resposta às preocupações da Comissão em matéria de concorrência, a DS Smith propôs alienar: a unidade Europac em Ovar, Portugal, no que se refere ao fabrico e fornecimento de chapas onduladas e de caixas de cartão canelado em Portugal”, revela o mesmo documento.

Outro dos eventuais problemas de Concorrência em torno desta OPA da DS Smith sobre a Europac respeitava ao mercado de chapas onduladas de cartão na França Ocidental.

Para contornar esse obstáculo, a DS Smith propôs alienar duas instalações fabris, a DSS Normandie e DSS Normandie (Cabourg), que produzem chapas onduladas e caixas de cartão canelado e abastecem a região ocidental de França, em especial a Bretanha.

“Estes compromissos eliminam em grande medida a sobreposição no que diz respeito ao fornecimento de chapas onduladas em Portugal e, como tal, qualquer problema de encerramento no que diz respeito às caixas de cartão canelado. Por conseguinte, a Comissão concluiu que a operação proposta, tal como alterada pelos compromissos, deixaria de suscitar preocupações em matéria de concorrência no EEE [Espaço Económico Europeu]”, conclui o mesmo comunicado, ressalvando que “a decisão está subordinada ao respeito integral dos compromissos” anteriormente referidos.

Ler mais
Recomendadas

Euroxent indica que aumento de capital da Vista Alegre atraiu sobretudo investidores internacionais

O aumento de capital da Vista Alegre Atlantis (VAA) atraiu, maioritariamente investidores internacionais, numa operação “muito bem sucedida”, conforme defendeu esta sexta-feira a presidente executiva da Euronext Lisbon.

Seguradora Fidelidade entra no mercado chileno

Com esta entrada no Chilea Fidelidade vai também apostar em alianças com parceiros estratégicos locais, alavancadas numa rede ampla de corretores e grandes retalhistas e de bancassurance, apostando numa qualidade de serviço superior com o objetivo de proporcionar o melhor serviço aos clientes.

PAN pede campanha informativa sobre 5G em Matosinhos

Matosinhos tem uma Zonal Livre Tecnológica, promovida pelo CEiiA – Centro de Engenharia e Desenvolvimento, da qual faz parte a NOS. A operadora usa a zona para testar 5G e em outubro anunciou ter coberto “integralmente” com a nova tecnologia móvel. Agora o PAN pede palestras, conferências e debates por toda a cidade para explicar o que é o 5G.
Comentários