Duque de Edimburgo e marido de Rainha de Inglaterra morre aos 99 anos (com áudio)

“A Família Real junta-se a pessoas de todo o mundo no luto por sua perda”, indica a missiva transmitida pela realeza britânica nas redes sociais.

O Duque de Edimburgo e marido da Rainha de Inglaterra morreu esta sexta-feira, 9 de abril, após ter regressado a casa depois de uma estadia prolongada no hospital devido a problemas cardíacos.

“É com grande tristeza que Sua Majestade a Rainha anuncia a morte do seu amado marido, Sua Alta Real o Príncipe Philip, Duque de Edimburgo”, lê-se numa mensagem publicada pelo Palácio de Buckingham.

“Sua Alteza Real faleceu pacificamente esta manhã no Castelo de Windsor. Novos anúncios serão feitos oportunamente”, indica ainda o Palácio. “A Família Real junta-se a pessoas de todo o mundo no luto por sua perda”, indica a missiva transmitida pela realeza britânica.

Phillip Mountbatten morreu esta manhã aos 99 anos de idade. O marido da Rainha Isabel II era o membro mais velho da história da monarquia britânica, mas tinha abandonado as funções públicas em 2017.

O marido de Isabel II foi submetido a uma cirurgia cardíaca em fevereiro deste ano, tendo sido mantido hospitalizado durante todo o mês devido a uma infeção e depois a problemas cardíacos. Há dez anos que os problemas cardíacos do duque eram conhecidos publicamente. O Duque de Edimburgo abandonou o hospital a 16 de março, quatro semanas depois de ter sido internado.

O Duque casou com a ainda Princesa Elizabeth em 1947, cinco anos antes dessa assumir o papel de Rainha. Phillip Mountbatten deixa quatro filhos, oito netos e dez bisnetos.

Mountbatten nasceu a 10 de junho de 1921 na Grécia, na união das famílias reais grega e dinamarquesa, mas em 1922 a sua família foi expulsa da Grécia na sequência de um golpe de Estado.

O site da Família Real britânica encontra-se ainda em “mudanças apropriadas” dada a situação, de forma a atualizar a informação.

Ler mais
Recomendadas

Líderes europeus assinaram compromisso no Porto. Assista em direto

“O Eurobarómetro não deixa dúvidas sobre o que os europeus querem: nove em cada dez disseram que desejam uma Europa social. A preocupação dos cidadãos europeus não é os debates institucionais”, garante o primeiro-ministro, na cimeira da União Europeia que decorre em Portugal.

Ursula von der Leyen: “Não deveria importar ser-se homem ou mulher. Salário igual para trabalho igual” (com áudio)

A presidente da Comissão Europeia afirmou esta sexta-feira, na sessão de abertura da Cimeira Social, no Porto, que a UE tem uma “economia humana”, mas realçou que a pandemia veio mostrar a necessidade de dar respostas sociais.

António Costa: “Covid revelou a importância de termos um Estado Social forte, mas também múltiplas fragilidades que persistem” (com áudio)

“A recuperação não pode atender apenas à emergência presente. Chegou o momento de combinarmos a emergência com a recuperação”, afirmou António Costa na abertura da Cimeira Social, que se realiza no Porto.
Comentários