E-commerce: portugueses gastaram 2,6 mil milhões de euros no ano passado

Apesar dos números do comércio online, as compras através da internet apenas representaram 5,7% do valor gasto em compras pagas através de cartões. Banco de Portugal explicou que se trata de um sinal da nossa economia e que estará em causa um efeito geracional.

Os pagamentos eletrónicos foram bem acolhidos pelo mercado nacional. Em 2018, foram realizados cerca de 2.705 milhões de pagamentos eletrónicos, o que corresponde a quase 99% dos pagamentos de retalho realizados, e ascenderam a pouco mais de 401 mil milhões de euros, ou seja, representaram 86,6% dos pagamentos de retalho realizados no ano passado.

Os pagamentos eletrónicos abrangem os cartões (de débito e de crédito), os débitos diretos e as transferências a crédito.

Esta é apenas uma das conclusões que salta à vista do Relatório dos Sistemas de Pagamentos elaborado pelo Banco de Portugal (BdP), divulgado esta segunda-feira. Apesar da adoção das novas tecnologias, a verdade é que o comércio online ainda (muito) tem por onde crescer.

No ano passado, os portugueses efetuaram quase 46 milhões de operações de pagamentos para compras online, que mais não são do que compras realizadas através da internet com recurso a um cartão bancário associado a uma conta, representando 3,8% da totalidade dos pagamentos realizados com cartões, que ascenderam a 1,2 mil milhões de pagamentos. Em termos de valor, os portugueses gastaram online 2,6 mil milhões de euros, o que corresponde a 5,7% dos 46,3 mil milhões do que os portugueses pagaram através dos cartões bancários.

O BdP explicou que esta realidade é um sinal da economia portuguesa e que traduz um efeito geracional, isto é, as gerações mais novas são as mais habituadas a recorrer ao “www” para efetuar pagamentos. No entanto, as compras online terão uma tendência para crescer, à medida que a confiança na internet for crescendo e também à medida em que as gerações mais novas forem substituindo as mais velhas.

 

Portugal é o quarto país com mais cartões na EU

Embora estes dados datem de 2017, o BdP revelou que Portugal ocupa a quarta posição na União Europeia (UE) no ranking de cartões ativos por habitante. Isto significava que, em termos médios, havia quase dois cartões por cada habitante, acima da média europeia, que se situou em 1,6 cartões por cada habitante.

Mais recentemente, a 31 de dezembro do ano passado, o regulador nacional revelou que havia 23,6 milhões de cartões de pagamento ativos em Portugal. Entre estes, a esmagadora maioria (92%) era constituída por cartões de crédito, isto é, 21,8 milhões, o que compara com os 8,5 milhões de cartões de crédito ativos.

Do universo total de cartões ativos em Portugal no final do ano passado, quase nove milhões tinham a tecnologia contactless incorporada, permitindo efetuar um pagamento aproximando o cartão a um terminal de pagamento automático (TPA) sem ter de se digitar o respetivo PIN. No entanto, as compras com contactless representaram apenas 3,6% da totalidade das compras físicas e apenas 1,5% do seu valor global.

Ler mais
Recomendadas

Tem algum conflito de consumo? Já o pode resolver pela internet

Encomendar produtos em sites com sede em qualquer ponto da Europa já não é um tiro no escuro. A plataforma RLL é um sítio interativo, gratuito, acessível em todas as línguas oficiais do espaço europeu, gerida pelo Centro Europeu do Consumidor.

Gasóleo vai ficar mais caro. Saiba onde estão os postos mais baratos

A partir de amanhã, o gasóleo sobe 1 cêntimo. Saiba onde estão os postos com os combustíveis mais baratos.

PremiumConsumidores estão a mudar a produção

Cerealis, Grupo Primor, Novarroz e Tété faturam em conjunto cerca de 380 milhões de euros por ano e têm uma presença diversificada em mercados externos. Mas o segredo do negócio passa pela inovação.
Comentários