e-toupeira: banco dos réus vai estar “desfalcado” sem a presença da SAD do Benfica, lamenta FC Porto

Os ‘dragões’ apontam “interpretações divergentes sobre a natureza e grandeza das provas que tornassem inequívocas as relações entre mandados e mandantes, sendo certo que partilhavam o mesmo corredor no Estádio da Luz”.

O FC Porto afirmou hoje que o processo ‘e-toupeira’ “vai chegar a julgamento com o banco dos réus desfalcado”, depois de o Tribunal da Relação de Lisboa (TRL) não ter pronunciado a SAD do Benfica.

“A FC Porto Futebol, SAD constata que o processo E-Toupeira vai chegar a julgamento com o banco dos réus desfalcado do elemento a quem aproveitou o crime, no plano desportivo”, começa por referir o clube portista em comunicado divulgado no seu sítio oficial.

Os ‘dragões’ apontam “interpretações divergentes sobre a natureza e grandeza das provas que tornassem inequívocas as relações entre mandados e mandantes, sendo certo que partilhavam o mesmo corredor no Estádio da Luz”.

O FC Porto diz ainda que é “evidente que a SL Benfica Futebol SAD não foi pronunciada em consequência de uma ‘guerra’ entre o Ministério Público e a Magistratura”.

O Tribunal da Relação de Lisboa (TRL) decidiu hoje não levar a julgamento a SAD do Benfica no âmbito do processo ‘e-toupeira’, mantendo a decisão instrutória da juíza Ana Peres, do Tribunal Central de Instrução Criminal.

Em 21 de dezembro do ano passado, a juíza Ana Peres, do Tribunal Central de Instrução Criminal (TCIC), não pronunciou (não levou a julgamento) a SAD do Benfica por nenhum dos 30 crimes pelos quais foi acusada pelo Ministério Público (MP), nem o funcionário judicial Júlio Loureiro, mas pronunciou o antigo assessor jurídico do Benfica Paulo Gonçalves e o funcionário judicial José Silva.

O MP interpôs recurso para o TRL, que foi distribuído ao juiz/relator Rui Teixeira, no qual o procurador Válter Alves defendia a pronúncia da SAD ‘encarnada’ por um crime de corrupção ativa, outro de oferta ou recebimento indevido de vantagem e 28 crimes de falsidade informática: os 30 crimes que constam da acusação por si proferida.

Ler mais
Recomendadas

Caso dos emails. Juiz pede escusa por ser benfiquista

Juiz Eduardo Pires é titular do Red Pass do Benfica, tem lugar cativo no Estádio da Luz e, pelo facto de ser sócio há pelo menos 50 anos, recebeu uma “Águia de Ouro”. Em junho do ano passado, o FC Porto, a SAD do clube e Francisco J. Marques foram condenados a pagar dois milhões de euros.

Empresário José Guilherme confirma buscas e nega dívidas ao Montepio e Finibanco Angola

“Todas as minhas responsabilidades para com os bancos estão ou definitivamente cumpridas e encerradas ou em situação regular de cumprimento”, defende o empresário da Amadora.

“Expresso” diz que Mónaco investiga Isabel dos Santos, o pai e o marido por branqueamento de capitais

Investigação das autoridades do Mónaco foi motivada por elevadas quantias de dinheiro depositadas em instituições financeiras do principado.
Comentários