EAD adquire Papiro para criar maior grupo de gestão documental em Portugal

Com esta aquisição, já autorizada pela Autoridade da Concorrência, o Grupo EAD passa a gerir uma estrutura com mais de 250 colaboradores e 11 milhões de euros de faturação anual.

A EAD adquiriu a Papiro, criando o maior grupo de gestão documental em Portugal e gerando uma estrutura com mais de 250 colaboradores e 11 milhões de euros de faturação anual.

“A EAD – Empresa de Arquivo de Documentação, S.A., empresa portuguesa especializada em soluções de gestão documental, anuncia a conclusão do processo de aquisição da Papiro, empresa de serviços e soluções de gestão documental, criando assim o maior grupo de gestão documental em Portugal, com capital 100% nacional”, destaca um comunicado da empresa.

Segundo essa nota, “a compra da totalidade do capital da Papiro ao Grupo Trivalor foi comunicada à Autoridade da Concorrência em agosto e recebeu o aval para a operação de aquisição no passado mês de setembro”, que “ficou concluída ainda em outubro”.

“Com a inclusão da Papiro, o Grupo EAD torna-se no maior grupo de gestão documental com capital 100% português, contando com mais de 250 colaboradores permanentes, uma faturação anual superior a 11 milhões de euros e com um universo de mais de 1.600 clientes”, assinala o mesmo documento.

De acordo com os responsáveis da EAD, “apesar da aquisição, a identidade e competências empresariais da Papiro serão mantidas”.

“A empresa irá potenciar as suas mais-valias, nomeadamente ao nível de serviços de ‘printing & finishing’, estafetagem, BPO (‘business process outsourcing’) e reciclagem segura e confidencial de documentos”, avança o mesmo comunicado, acrescentando que “a excelente relação com a Trivalor vai manter-se, reforçada pela contratualização de uma parceria comercial entre ambas as partes, para o mercado onde estão inseridas”.

Os responsáveis da EAD, assinalam também que, com esta aquisição, o grupo “mantém o seu desígnio de assegurar a liderança no mercado da gestão documental em todas as suas vertentes, nomeadamente de desenvolvimento de ‘software’, BPO e reciclagem segura e confidencial de documentos”.

“A Papiro foi sempre um concorrente admirável e hoje é um parceiro. É com muito orgulho que incluímos esta empresa no Grupo EAD, reforçando o nosso desígnio de liderança no setor da gestão documental em Portugal. O nosso objetivo sempre foi o de encontrar formas mais eficazes de servirmos os nossos clientes e estamos certos de que com esta aquisição unimos esforços, mantendo a identidade das duas organizações, para trazer uma melhoria significativa ao setor, sempre tendo em vista o apoio à transformação digital das organizações”, afirma Paulo Veiga, fundador e CEO da EAD.

Por seu turno, Luís Bravo, administrador da Papiro, que se irá manter como CEO, destaca que “a aquisição da Papiro pela EAD surge na melhor altura, reforçando a oferta ao mercado em soluções de gestão documental num período de grandes desafios e constantes mudanças, com a maturidade que os muitos anos no mercado nos fizeram consolidar”.

“A EAD foi sempre a forte referência no mercado, trazendo esta operação uma forte evolução no dinamismo e oferta que o Grupo EAD vai dar ao mercado, simplificando cada vez mais a vida a todos os nossos ‘stakeholders’“, refere Luís Bravo, administrador da Papiro.

Com 27 anos de atividade, a EAD foi a primeira empresa de gestão documental em ‘outsourcing’ em Portugal, contando com centros de operações em Palmela, Montijo, Vilar do Pinheiro, Açores e Madeira.

Em 2019, o Grupo EAD deu início ao seu processo de internacionalização, abrindo uma filial em Bucareste, na Roménia, a EAD Digital Romania, que presta serviços de ‘business process outsourcing’ (BPO) na otimização de processos documentais das organizações locais.

Pertence, ainda, ao Grupo EAD a tecnológica Fin-Prisma.

“Presente no mercado desde 2001, a Papiro opera a partir dos seus centros técnicos dotados das mais atuais tecnologias de informação e de gestão do conhecimento, localizados estrategicamente no território português. Disponibiliza serviços e soluções tecnológicas às empresas e instituições na resolução dos complexos problemas relacionados com a preservação, segurança e acessibilidade aos seus registos e informação, independentemente do suporte em que a referida informação se encontra depositada”, explica o comunicado em análise.

A Papiro é uma empresa dedicada à transformação digital, à automatização de processos, à implementação de processos em BPO (‘Business Process Outsourcing’), à assinatura digital, à conservação física e digital de todos os suportes de informação e à destruição segura e confidencial, facilitando a acessibilidade permanente à informação crítica de negócio, em total conformidade com as normas do Regulamento Geral sobre a Proteção de Dados.

Entretanto, o Grupo EAD, atualmente com 27 anos de existência, posiciona-se no mercado da gestão documental, respondendo, em primeiro lugar, a necessidades no tratamento da documentação em suporte papel com soluções tradicionais de gestão de arquivo, como a custódia, destruição segura, organização e avaliação documental, de que o grupo dispõe.

Em segundo lugar, a EAD oferece também “soluções digitais a necessidades que as organizações podem evidenciar, em termos de agilidade, rapidez, mobilidade, ‘compliance’, otimização de custos e competitividade”.

“A transformação digital veio abrir um leque de oportunidades ao mundo digital e global, que o Grupo EAD tem sabido aproveitar, posicionando-se como um dos principais ‘players’ a oferecer soluções BPO, principalmente na otimização dos processos documentais associados aos processos de negócios das empresas”, garante o comunicado da EAD, adiantando que o grupo “abrange todo o território nacional, incluindo as regiões autónomas dos Açores e da Madeira, sendo a primeira empresa de gestão de arquivo a iniciar atividade nos Açores, há 12 anos”.

“Em 2019, abriu a sua primeira filial fora de Portugal, a EAD Digital Romania, na cidade de Bucareste, Roménia, para prestar serviços de Business Process Outsourcing (BPO) na otimização de processos documentais das organizações locais, com soluções para diversas áreas das empresas, como despesas de pessoal, ‘accounts payable’, ‘mailroom’ digital e armazenamento ‘cloud’”, esclarece o  comunicado da empresa.

Há oito anos consecutivos que a EAD é distinguida com o estatuto de PME Líder pelo IAPMEI.

“Com mais de mil clientes em carteira, 160 colaboradores, 33.950 metros quadrados de área coberta de custódia, 900 mil contentores com documentação, 32.800 volumes de documentos entregues e 176.700 cópias de originais disponibilizados, o Grupo EAD fechou o ano de 2019 com uma faturação de 5,8 milhões de euros e um resultado líquido de 780 mil euros”, conclui o referido comunicado.

Recomendadas

Balsemão: “Este livro não é, nem pretende ser, um ajuste de contas”

A apresentação do livro de 962 páginas, onde o patrão do Expresso e da SIC, conhecido jornalista, empresário e político relata as suas Memórias, coube a Luís Marques Mendes e Clara Ferreira Alves. “Devemos agradecer às pessoas que nos fazem felizes”, disse Balsemão, citando Proust.

Caixa não pode “descurar o rigor” nem cometer “erros” após boas notícias, diz Paulo Macedo

“Se a Caixa se mantiver competitiva, se a Caixa assegurar uma boa ‘governance’, se a Caixa mantiver um rigor de crédito e melhorar as suas práticas e cada vez tiver mais próxima do cliente, se não fizer o oposto disto, eu acho que apesar do negócio bancário estar muito difícil, e dos proveitos ‘core’ bancários preverem-se estar estagnados, a Caixa tem uma boa base para prosseguir o seu caminho”, disse o CEO da CGD.

Moody’s sobe rating da CP

“A subida tem em conta as fortes ligações entre a Comboios de Portugal e o soberano, do qual recebe um apoio financeiro considerável”, considerou Francesco Bozzano, o analista da empresa na agência norte-americana, onde tem o cargo de analista vice-presidente-sénior.
Comentários