Economia nacional cresce 1,8% no primeiro trimestre do ano

Economia portuguesa acelerou nos primeiros três meses do ano. O Produto Interno Bruto registou uma taxa de variação em cadeia de 0,5%, que compara com os 0,4% do último trimestre de 2018.

A economia nacional acelerou nos primeiros três meses do ano face ao último trimestre de 2018, impulsionado pela procura interna. Segundo a estimativa rápida do Instituto Nacional de Estatística (INE), divulgada esta quarta-feira, o Produto Interno Bruto (PIB) cresceu 1,8% em em termos homólogos, que compara com os 1,7% registados no ano passado.

“O contributo da procura interna para a variação homóloga do PIB aumentou, refletindo uma aceleração significativa do investimento”, explica o INE. “Em sentido contrário, o contributo da procura externa líquida foi mais negativo que o observado no trimestre anterior, em resultado da aceleração mais intensa das importações de bens e serviços que das exportações de bens e serviços”, acrescenta.

Em cadeia, o PIB cresceu 0,5%, face aos 0,4% do quarto trimestre de 2018. “O contributo da procura interna para a variação em cadeia do PIB aumentou, enquanto o contributo da procura externa líquida foi mais negativo que o registado no trimestre precedente”, realça o organismo de estatística nacional.

O crescimento da economia nacional tinha abrandado para 2,1% em 2018, face aos 2,8% registados no ano anterior. Para este ano, o Governo vê a economia nacional a crescer 1,9% este ano, depois de ter revisto no Programa de Estabilidade e Crescimento, a meta de 2,2% anteriormente inscrita no Orçamento do Estado para 2019 (OE2019).

No entanto, as estimativas do Executivo continuam acima das projeções da generalidade das principais instituições internacionais e nacionais. A Comissão Europeia e o Banco de Portugal estimam uma expansão de 1,7% este ano, ligeiramente acima dos 1,6% previstos pelo Conselho de Finanças Públicas. Apenas a OCDE mantém as previsões mais otimistas do que o Ministério das Finanças, com uma estimativa de 2,1%.

A confirmação sobre o crescimento do PIB do primeiro trimestre será divulgada no dia 31 de maio, com a divulgação das contas nacionais. Na nota divulgada esta quarta-feira, o INE explica que a estimativa rápida “incorpora revisões na informação de base utilizada anteriormente, nomeadamente no que se refere ao comércio internacional de bens e aos indicadores de curto prazo, originando ligeiras revisões nas taxas de variação homóloga do PIB em volume para 2018”.

(Atualizada às 09h42)

Ler mais
Relacionadas

Vitória de Costa na ‘mini-crise’ deve beneficiar juros e ‘rating’, diz Bankinter

António Costa saiu vencedor da mini-crise política e os resultados devem ser a melhoria da taxa de juros da dívida portuguesa, inclusive uma eventual vantagem face à equivalente espanhola, e uma decisão positiva da Fitch sobre a notação soberana na próxima semana, diz o banco espanhol.

PIB: Economia nacional terá expandido 1,7% no primeiro trimestre, com contributo da procura interna

O Instituto Nacional de Estatística divulga esta quarta-feira a estimativa rápida. Em cadeia, a estimativa média aponta para 0,5%, num intervalo de previsões entre 0,3% e 0,7%. A confirmar-se as previsões é um ligeiro acelerar face ao último trimestre do ano passado.
Recomendadas

Berardo: Bens pessoais de empresário estão na mira da justiça

Ações, títulos, depósitos e participações não bastam para liquidar dívida. Penhorar património pessoal de Berardo poderá ser a solução.

Amazon: ações podem chegar aos três mil dólares nos próximos dois anos, estima Bloomberg

A avaliação de três mil dólares por título implica uma capitalização bolsista de 1,47 mil milhões de dólares (1,31 mil milhões de euros).

As cidades com os táxis mais caros (e mais baratos) do mundo

O Deutsche Bank fez uma pesquisa onde elenca 55 cidades e os respetivos preços médios para utilizar o táxi. Lisboa está em 34.º lugar de uma lista que coloca Zurique no primeiro lugar e Amesterdão em segundo.
Comentários